Diretor acusado de pagar propina no futebol recebeu procuração da Globo

Responsável pela aquisição dos eventos esportivos da Rede Globo nas últimas décadas, Marcelo Campos Pinto tinha procuração para negociar os contratos no Brasil e no exterior em nome da família Marinho, dona da emissora.

691 0

Responsável pela aquisição dos eventos esportivos da Rede Globo nas últimas décadas, Marcelo Campos Pinto tinha procuração para negociar os contratos no Brasil e no exterior em nome da família Marinho, dona da emissora.

Da Redação*

Marcelo Campos Pinto, responsável pela aquisição dos eventos esportivos da Rede Globo nas últimas décadas, tinha procuração para negociar os contratos no Brasil e no exterior em nome da família Marinho, dona da emissora. O documento, obtido pelo Jornal da Record, é datado de 12 de março de 2013. No mesmo mês da procuração, a Rede Globo, a Televisa e a Torneos concordaram em pagar US$ 15 milhões de propina para garantir os direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030, segundo o ex-presidente da empresa Torneos Y Competencias, Alejandro Burzaco. As informações são de Luiz Carlos Azenha e Tony Chastinet no R7.

A revelação foi feita nesta quarta-feira (15) na audiência de julgamento do ex-presidente da CBF José Maria Marin, em Nova York. A operação do FBI para investigar a Fifa, deflagrada em maio de 2015, tirou o executivo das sombras e colocou os negócios dele no foco do FBI. A procuração, para tratar exclusivamente da negociação dos direitos de transmissão dos torneios da entidade máxima do futebol, demonstra o poder e a autonomia de que gozava Campos Pinto, então diretor de esportes da Globo.

Nos bastidores, Marcelo Campos Pinto era o poderoso chefe de esportes da Rede Globo com acesso direto aos dirigentes da CBF e da Fifa. Com a eclosão do escândalo, foi exposta a relação próxima do executivo com cartolas investigados e presos. O ex-diretor da Globo deixou a emissora dias depois da extradição de Marin para os Estados Unidos.

*Com informações do R7 e Brasil 247

Foto: Divulgação



No artigo

x