Alckmin e a imprensa: quando o culpado é tratado como herói

“Resta saber quem é mais cara de pau: Alckmin que finge estar tudo bem quando não está ou a imprensa paulista, que finge não haver culpado quando a culpa tem nome”. Leia mais no...

1178 0

“Resta saber quem é mais cara de pau: Alckmin que finge estar tudo bem quando não está ou a imprensa paulista, que finge não haver culpado quando a culpa tem nome”. Leia mais no artigo de Alencar Santana Braga

Por Alencar Santana Braga*

Uma entrevista com o Reitor da Unesp, Sandro Roberto Valentini, publicada na Folha de São Paulo demonstra – mais uma vez – a blindagem que a imprensa dá ao governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Com o título “Unesp precisa de crédito de Alckmin para pagar 13º salário, afirma reitor”, o jornal tenta passar a impressão de ser Alckmin uma espécie de pessoa generosa e disposta a “ajudar”, oferecendo a Unesp um “crédito” para pagar seus mais de 4 mil servidores e 2 mil professores e de o reitor ser um cidadão endividado, implorando crédito para um generoso gerente de banco.

Mas a verdade passa longe disso.

Alckmin é o maior responsável pela situação caótica e pelas contas no vermelho das universidades do Estado.

É Alckmin o responsável pela manutenção do modelo de financiamento do ensino universitário à cota do ICMS, deixando a USP, a Unesp e a Unicamp nas mãos das incertezas da economia e da arrecadação e pela manutenção da fixação de tal cota desde 1995, mesmo com o crescimento das instituições.

No caso da Unesp, oito campi foram criados ao longo desses anos, sem aumento do percentual.

A Folha esqueceu de dizer que é também o Alckmin responsável pela crise na USP e pela demissão ou desligamento de centenas de funcionários sem reposição, colocando em risco as aulas de milhares de estudantes e até a vida da população que depende dos serviços de saúde da universidade.

O mesmo fez o jornal O Estado de São Paulo, noticiando o possível fechamento Pronto Socorro Pediátrico do Hospital da USP na próxima terça-feira (21), por falta de recursos e profissionais, mas sem dar nome ao devido culpado: Alckmin.

Alckmin também se salva de ser apontado como o culpado do fato de os alunos e alunas do curso medicina da USP estarem em greve por melhores condições de estudo e aprendizado e os médicos residentes lutando por reposição salarial. Como também não é apontado como o culpado por outros departamentos e cursos também sofrerem falta de professores, como a EACH do Campus Leste.

Os jornais também esquecem de dizer que, pela falta de compromisso de Alckmin com a educação, a Unicamp vive uma situação financeira dramática e, mesmo com os esforços de alunos, técnicos e professores, a melhor universidade da América Latina (ranking THE) vai fechar o ano com uma dívida de R$ 225 milhões, com obras e melhorias paradas e com bolsas de estudos atrasadas.

A imprensa tem a obrigação de informar à população a verdade, e dar os devidos nomes aos culpados pela crise de nossas universidades estaduais. A culpa é de Alckmin e dos sucessivos governos do PSDB que, ano após ano, colocam a educação em um papel secundário e condenam o Estado de São Paulo a perda da qualidade do ensino superior.

Resta saber quem é mais cara de pau: Alckmin que finge estar tudo bem quando não está ou a imprensa paulista, que finge não haver culpado quando a culpa tem nome. De culpado, os jornais paulistas querem fazer Alckmin um herói.

* Alencar Santana Braga é Deputado Estadual e Líder da Bancada do PT na Alesp

Foto: Agência Senado



No artigo

x