Prêmio Grão de Música realiza a 4ª edição

Conheça os premiados 2017 do PGM, criado para valorizar compositores, compositoras e intérpretes brasileiros

476 0

Conheça os premiados 2017 do PGM, criado para valorizar compositores, compositoras e intérpretes brasileiros

Da Redação

 A cerimônia de entrega da 4ª edição do Prêmio Grão de Música, acontece no próximo sábado (25), na sala Olido, no Centro de São Paulo. Além da premiação, haverá shows com três dos quinze artistas premiados e premiadas em 2017: Estela Ceregatti (Cuiabá/MT), Calé Alencar (Fortaleza/CE) e Áurea Martins (Rio de Janeiro/RJ). A entrada é franca.

O PGM destaca anualmente 15 artistas, iniciantes ou veteranos, porém a maioria pouco conhecidos nacionalmente pelo público.  Este ano, foram premiados, pelo conjunto da obra, nomes de Pernambuco, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia, Paraná, Sergipe, Amazonas e Alagoas.

Anualmente, o Prêmio Grão de Música dedica-se a buscar artistas talentosos, a maioria deles pouco conhecidos pelo grande público nacional, com o objetivo de valorizar e promover o gênero canção em todas as regiões do país. Compositores, compositoras e intérpretes de grande valor, de diferentes gerações, são destacados em cada edição do PGM, premiados com troféu em bronze e o registro de uma música na coletânea de canções produzida em CD.

Cada nome selecionado pela curadoria do Prêmio é escolhido pelo conjunto da obra e trajetória artística. O foco da busca é principalmente o interior do Brasil, na tentativa de conhecer o que acontece fora dos circuitos habituais. O PGM é idealizado e realizado pela cantora e compositora paraibana Socorro Lira, que reúne esforços e recursos próprios para manter a iniciativa.

Selecionados Prêmio Grão de Música 2017

Nesta 4ª edição, doze estados brasileiros estão representados pelos 15 artistas premiados:

Almério (Caruaru/ PE)

Ana Paula da Silva (Joinville/SC)

Áurea Martins (Rio de Janeiro/RJ)

Calé Alencar (Fortaleza/CE)

Cida Moreira (São Paulo/SP)

Déa Trancoso (Almenara/MG)

Estela Ceregatti (Cuiabá/MT)

Fred Martins (Niterói/RJ)

Jânio Arapiranga (Arapiranga/Rio de Contas/BA)

João Triska (Curitiba/PR)

Joésia Ramos (Aracaju/SE)

Márcia Siqueira (Manaus/AM)

Mocinha de Passira (Passira/PE)

Paula Santoro (Belo Horizonte/MG)

Wilma Araújo (Maceió/ AL)

O resultado de cada edição é registrado também em CD, onde cada premiado ganha espaço para uma música na coletânea PGM, disponibilizada no site. Acesse AQUI. Os CDs da coletânea são distribuídos gratuitamente.

Elifas Andreato, designer gráfico e ilustrador, assina a identidade visual do PGM. A estatueta de bronze para troféu, logotipo e a capa do CD foram criadas pelo artista, responsável por capas de discos icônicos da música brasileira, de nomes como Chico Buarque, Clementina de Jesus e Martinho da Vila.

Socorro Lira conta um pouco sobre a iniciativa, “O Prêmio Grão de Música se propõe a identificar e referendar obras e trajetórias artísticas relevantes nem sempre divulgadas ou vistas pela crítica especializada. E que, em muitos casos, estão fora dos circuitos e pólos culturais mais influentes. O PGM nasceu do desejo e da necessidade de se criar meios para essa música também encontrar os ouvidos que a querem. E teve a sorte de já nascer com a assinatura de um dos mais respeitados artistas do Brasil, Elifas Andreato”.

O Prêmio Grão de Música se compromete a um trabalho significativo de garimpo musical, ampliando o olhar para o interior do país, onde veteranos ou jovens artistas criam e desenvolvem sua obra a partir do lugar onde nasceram e/ou vivem. O olhar está voltado para o que expressa mais profundamente o jeito de ser e viver das pessoas.

“Pretendemos ser um espaço dedicado à canção brasileira que, em algum momento, foi chamada de MPB, agora modificada pela indústria do entretenimento. MPB é a música brasileira de cada lugar, como conceito e não como gênero musical”, completa Socorro Lira.

Acesse:

http://premiograodemusica.com.br

https://www.facebook.com/PremioGraoDeMusicaOficial

CD – Coletânea GRÃO DE MÚSICA 2017

  1. Flor de Romã (Bartholomeu Mendonça) com Wilma Araújo
  2. Não Nasci para o Amor (Juliano Holanda e Thiago Emanoel Martins) com Almério
  3. Vasta Ilha (Ian Faquini e Mauro Aguiar) com Paula Santoro
  4. Viola Quebrada (Mário de Andrade) com Cida Moreira
  5. Cartão Postal (Joésia Ramos e Maria Cristina Gama) com Joésia Ramos
  6. Bola no Bola (Vidal Assis e Hermínio Belo de Carvalho) com Áurea Martins
  7. Pé de Crioula (Ana Paula da Silva e Sérgio Almeida) com Ana Paula da Silva
  8. Negra (Calé Alencar) com Calé Alencar
  9. Cunhantã (Zeca Torres, Aníbal Beça e Thiago de Mello) com Márcia Siqueira
  10. Milonga Flor (Érlon Péricles) com João Triska
  11. Corpo (Déa Trancoso) com Déa Trancoso
  12. Açoite da Brisa Monte (Jânio Arapiranga) com Jânio Arapiranga
  13. Os Desejos da Mulher (Mocinha de Passira) com Mocinha de Passira e Luzivan Matias
  14. Noite de São João (Fred Martins e Alberto Caieiro) com Fred Martins
  15. Segundo Quarto (Estela Ceregatti) com Estela Ceregatti

> Ouça AQUI

CONHEÇA MAIS SOBRE OS SELECIONADOS 2017

Almério (PE)

Cantor, compositor pernambucano de Altinho, radicado em Caruaru, lançou seu primeiro disco em 2013 o que lhe rendeu shows em grandes festivais locais como Festival de Inverno de Garanhuns, Abril Pro Rock, Festival Pernambuco Nação Cultural e o Festival Rec-Beat. Em 2014 ganha o troféu Cata-vento da Rádio Cultura Brasil. Acaba de lançar Desempena, segundo álbum do músico com 11 faixas, patrocinado pelo Natura Musical, onde foi um dos primeiros artistas selecionados por votação online, após indicação da comissão de especialistas, com 750 mil votos.

Ana Paula da Silva (SC)

Compositora, intérprete e produtora, já acumula 21 anos de carreira, lançou e produziu seis álbuns, um songbook, o recente DVD Canto da Cigarra e realiza shows e turnês no Brasil e exterior. Ganhou diveros prêmios como o Prêmio Pixinguinha, Prêmio da Música Catarinense, Festival Nacional de MPB de São José do Rio Preto e como Melhor Cantora/Regional com o álbum Raiz Forte, no Prêmio da Música Brasileira. Atualmente faz os shows de lançamento do seu primeiro DVD Canto da Cigarra que comemora os seus 20 anos de carreira.

Áurea Martins (RJ)

Cantora carioca, com 5 Cds lançados e um DVD, recebeu o prêmio de melhor cantora no Prêmio da Música Brasileira 2009. Áurea iniciou sua carreira na década de 60 na Rádio Nacional-RJ. Em 1969, foi a primeira colocada da quarta edição do programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti, na TV Tupi, recebendo como prêmio a gravação de um disco e uma viagem a Portugal. Este LP, intitulado “O Amor em Paz”, foi lançado em 1972, e contou com arranjos de Luizinho Eça, acompanhamentos do Tamba Trio. Seu trabalho ficou afastado da mídia, porém com sólida atuação como cantora da noite carioca. Dividiu o palco com diversos nomes, entre eles como Alcione, Emílio Santiago, Elza Soares, Johnny Alf, Baden Powell, Cauby Peixoto, Milton Nascimento. Construiu uma carreira relevante, apesar de desconhecida pelo grande público.

Calé Alencar (CE)

Músico, cantor, compositor, produtor e pesquisador da música popular brasileira e do maracatu. Com mais de 40 anos é um dos nomes mais representativos da cultura cearense. Nascido em Fortaleza, atua no cenário musical com um trabalho vigoroso, mesclando elementos da cultura urbana com referências da cultura tradicional popular.

Cida Moreira (SP)

A cantora, pianista e atriz nascida em São Paulo, estreou nos palcos na década de 70. De lá pra cá, foram mais de dez álbuns e parcerias surpreendentes, em mais de 30 anos de intensa carreira. Seu trabalho mantém uma veia de ousadia, buscando aquilo que a toca de verdade, sejam os velhos ou novos. Seu último disco, “Soledade Solo” (2017),  traz repertório que mescla clássicos do cancioneiro nacional e compositores jovens da nova cena brasileira.

Déa Trancoso (MG)

Cantora, compositora, pesquisadora e produtora cultural com 25 anos de carreira. Filha de seresteiros, nascida em Almenara/MG, ainda menina demonstrou vocação e talento para a música. Recebeu grande influência dos violeiros, cantadores e foliões do Vale do Jequitinhonha. Hoje a artista possui três álbuns gravados, muitas canções de sua autoria e cinco indicações ao Prêmio da Música

Brasileira. O mais recente álbum da artista, ao lado de Paulo Bellinati, Flor do Jequi (2012) é uma homenagem a sua terra natal.

Estela Ceregatti (MT)

Compositora, cantora, instrumentista, sonoplasta e professora de canto. Cuiabana, licenciada em Música pela UFMT, atualmente integra o grupo Monofoliar mas já participou de diversos grupos de relevância para a música mato-grossense, com os quais lançou três discos. Na carreira solo, acaba de lançar seu primeiro disco: “AR” (2016); das onze canções do álbum, a artista assina nove.

Fred Martins (RJ)

Cantor, compositor e arranjador. Sua relação com a música brasileira se aprofundou nos dez anos em que transcreveu partituras de grandes compositores para os songbooks lançados pela Editora Lumiar. Hoje, o artista niteroiense tem em sua discografia cinco álbuns gravados e suas composições passeiam pelas vozes de nomes consagrados da MPB. Vencedor do Prêmio Visa de Música Brasileira, Melhor Compositor (9ªedição-2006).

Janio Arapiranga (BA)

Cantor, instrumentista, compositor e radialista. Nascido em Arapiranga (Chapada Diamantina); esteve por onze anos à frente do programa Som da Terra, da Rádio Clube de Conquista (Vitória da Conquista/BA), sucesso de audiência na cidade. Janio tem quatro álbuns gravados, seu álbum mais recente: Luz do Poeta (2012) apresenta quatorze faixas, sendo onze de sua autoria.

Joésia Ramos (SE)

A cantora e compositora nasceu em Aracajú no Sergipe. Iniciou carreira em 1981, quando participou do 1º FSMPB, desde então vem produzindo canções nos mais variados ritmos e estudando as suas raízes, na busca de uma linguagem que expresse a sua cultura e o seu tempo. Tem trabalhos registrados ao lado de Ney Matogrosso, Bené Fonteles, Miltinho Edilberto e Chico Queiroga. Desde 2001, dentro outros projetos, faz o Forró Rabecado, onde mistura suas composições à dos mestres da cultura popular como Luiz Gonzaga e Jackson do pandeiro.

João Triska (PR)

Cantor, compositor, instrumentista, arranjador e produtor musical. O artista paranaense busca desbravar a musicalidade do território sul-americano, possui dois álbuns gravados com composições próprias e parcerias e também concorreu duas vezes ao Prêmio Profissionais da Música (PPM), na categoria Melhor Artista de Raiz Regional. Em seu primeiro álbum: Nos Braços dos Pinheirais (2015), ele busca resgatar e difundir a musicalidade de raiz de sua região; já no segundo, Iguassul (2016), ele celebra o encontro natural entre os povos do continente sul-americano.

Márcia Siqueira (AM)

A manauense iniciou sua carreira ainda na adolescência como cantora gospel, cantou na noite de Manaus em várias bandas e venceu diversos festivais locais como melhor intérprete. Atualmente, além da carreira solo atua como backing vocal no Festival Folclórico de Parintins e como cantora do time do Boi Garantido. Márcia tem dois álbuns gravados e também atua como produtora musical.

Mocinha de Passira (PE)

Cantora, compositora e instrumentista pernambucana. Uma das veteranas na cantoria de viola e uma das poucas mulheres que se dedicam à arte do repente. Sua vocação foi despertada ao assistir

cantorias na cidade onde vivia (Passira/PE) e iniciou sua carreira aos doze anos apoiada pelo pai, daí o nome: Mocinha da Passira. Com a repentista Minervina Ferreira, foram a primeira dupla de violeiras a gravar um CD. Em 1976, só após quase 20 anos de estrada, Mocinha teve a oportunidade de registrar seus versos em um disco. Admirada por Ariano Suassuna, ganhou o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Paula Santoro (MG)

A intérpretes ganhou Troféus Faísca como melhor cantora de Minas Gerais e no 5° Prêmio Visa. A cantora já excursionou pela Europa, Ásia e EUA e cantou ao lado de nomes como Chico Buarque, Guinga, Toninho Horta, Alcione, Flávio Venturini, Nelson Angelo, entre outros. Seu álbum “Paula Santoro” (Biscoito Fino) contou com participações especiais de Chico Buarque e Toninho Horta. É uma das poucas artistas brasileiras que já se apresentou no programa “Later with Jools Holland” da BBC de Londres, cantando no palco ao lado de Amy Winehouse.

Wilma Araújo (AL)

Alagoana de Arapiraca, Wilma canta desde pequena. Iniciou carreira profissional em 1993, a cantora de voz requintada é veterana em festivais de músicas e sempre grava e canta músicas de compositores alagoanos, além de interpretar canções clássicas da MPB, passeando pelos mais diversos ritmos: bossa nova, MPB, forró pé-de-serra, ciranda, frevo, valsa, choro e samba.

+ Sobre o Prêmio Grão de Música

O Prêmio Grão de Música teve início em Salvador na Bahia, em 2014, e realiza sua quarta edição em 2017 na cidade de São Paulo. A cada ano, a seleção da premiação é iniciada em janeiro por uma equipe do PGM, a partir do recebimento das obras enviadas pelo próprios artistas interessados em participar da premiação. Anualmente 15 artistas são selecionados e premiados, todos ganham troféu e o registro de uma música na coletânea de canções produzida em CD.

O PGM conta ainda com colaboradores e colaboradoras de diversos cantos do país, que sugerem artistas e mandam CDs. Em 2018, será constituída as “curadorias regionais” afinadas com o “propósito” do prêmio, para potencializar a abrangência da curadoria do PGM.

A cerimônia de entrega acontece entre novembro e dezembro de cada ano, onde os artistas ou representantes recebem o troféu; uma estatueta de bronze assinada por Elifas Andreato.

Equipe PGM:

Socorro Lira – diretora artística, produtora responsável

Elifas Andreato – diretor artístico da Mostra PGM/ criador da identidade visual

Roberto Tranjan – Produtor executivo

Maury Cattermol – Produtor executivo, designer, social media

Carolina Araújo – produtora assistente

Ivo Ribeiro – núcleo financeiro

 



No artigo

x