Policial agride criança de 8 anos e direção da PM a mantém trabalhando “normalmente”

“A mulher entrou no ônibus dizendo que ia pegar o aluno. Ela veio até o segundo banco onde ele estava sentado. Deu um tapa na cara dele, bateu no peito dele dizendo ‘agora você sabe o que faz com aquele papel”, disse uma das...

1557 0

“A mulher entrou no ônibus dizendo que ia pegar o aluno. Ela veio até o segundo banco onde ele estava sentado. Deu um tapa na cara dele, bateu no peito dele dizendo ‘agora você sabe o que faz com aquele papel”, disse uma das testemunhas

Da Redação*

Um menino de oito anos, morador da zona rural de Sarapuí (SP), de acordo com testemunhas, teria sido agredido, nesta quinta-feira (30), por uma policial militar. O motivo: a criança, estudante de uma escola municipal, voltava para casa em um ônibus escolar, quando jogou pela janela do veículo uma bolinha de papel, que foi parar no carro particular da policial.

Em seguida, a PM teria parado seu carro e entrado no ônibus, que estava estacionado para deixar um dos estudantes na casa. Na sequência, ela teria ameaçado o garoto e o agredido.

Uma mulher que estava no ônibus relatou à TV TEM que a policial, além de ameaçar o menino, fez ameaças para todos que estavam no veículo.

“A mulher entrou no ônibus dizendo que ia pegar o aluno. Ela veio até o segundo banco onde ele estava sentado. Deu um tapa na cara dele, bateu no peito dele dizendo ‘agora você sabe o que faz com aquele papel. Eu marquei sua cara. Vou atrás da sua mãe’. Ela olhou para gente que estava dentro do ônibus, bateu no peito dizendo que ela era policial e apontou o dedo pra todo mundo dizendo que isso servia de lição para todos que estavam ali”, diz a testemunha, que preferiu não se identificar.

A avó do garoto, Claudete Magalhães Santos, contou que ficou assustada com o que aconteceu e, por isso, registrou um boletim de ocorrência.

“Fiquei em choque. Nunca imaginei que uma policial, uma pessoa que seria para ajudar, para cuidar, ia entrar no ônibus e praticamente agredir uma criança com epilepsia e que toma remédio desde um ano e meio”, diz.

A filha de 11 anos da Elisângela Ferreira da Silva estava no ônibus. A mãe diz que conhece a policial e que ficou preocupada com a reação da filha quando chegou em casa.

“A gente fica pensando que mundo é esse. Os filhos saem pra ir para a escola e aí entra uma pessoa que faz uma coisa dessa”, diz.

Investigação

O boletim de ocorrência foi registrado como vias de fato, que é uma agressão sem lesão. Segundo a polícia, ele será encaminhado para a Polícia Militar de Itapetininga (SP) para que sejam tomadas as medidas necessárias.

Ainda segundo a polícia, o menino vai passar por um exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) nos próximos dias.

O Conselho Tutelar também esteve na delegacia e vai acompanhar o caso.

“Estamos esperando o boletim para juntar com nosso relatório, que será encaminhado para o Ministério Público. Além disso, encaminharemos a criança para fazer um acompanhamento psicológico”, diz a conselheira Tatiane Martins barros.

Em nota, a Secretaria de Educação de Sarapuí disse que repudia a conduta da policial militar e que o fato do papel ter acertado o carro dela não justifica o ônibus ter sido invadido. A Secretaria disse que aguarda a família do aluno formalizar a reclamação para oferecer apoio à criança.

A Polícia Militar informou que a policial estava de folga e com o carro particular e que só vai abrir uma investigação para apurar a conduta dela se a família do estudante fizer uma denúncia formal. Por enquanto a policial militar continua trabalhando normalmente.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução TV Tem



No artigo

x