A regueira periférica do “Veja Luz”

“Escolhas” é o segundo álbum da Banda “Veja Luz”, formada por cinco amigos de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, que há mais de uma década vem se dedicando à construção da sua trajetória no circuito independente e fincando raízes na cultura...

3208 0

“Escolhas” é o segundo álbum da Banda “Veja Luz”, formada por cinco amigos de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, que há mais de uma década vem se dedicando à construção da sua trajetória no circuito independente e fincando raízes na cultura periférica.

Por Joselicio Junior*

“Eles dizem que a vida é uma escolha, muito fácil se está dentro da bolha, pergunte ao caçador se quer ser caça” (Meritocastas – Veja Luz)

Abrindo o disco com uma poesia de Sergio Vaz, da Cooperifa, trazendo letras que abordam os privilégios através do discurso da meritocracia, racismo institucional, o genocídio da juventude negra, dando voz à Débora das Mães de Maio, fazendo uma releitura da música “O Que será”, de Chico Buarque, com muita poesia, muito reggae, o recado chega de forma explícita:  somos periféricos, somos negros, somos engajados e queremos transformar a nossa realidade

Escolhas é o segundo álbum da Banda Veja Luz, formada por cinco amigos de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, que há mais de uma década vem se dedicando à construção da sua trajetória no circuito independente e fincando suas raízes na cultura periférica, recebendo influências da cultura Hip Hop, dos saraus, dos movimentos de resistência. O disco faz essa “Escolha”, traz essa carga, essa reflexão, o engajamento, sem abrir mão da suavidade da melodia reggae.  É a regueira periférica!

Dentro de um contexto de golpe, de governos ilegítimos, de retiradas de direitos, de avanços de valores conservadores, com defesas esdrúxulas de intervenção militar, de defesa da escola sem partido, o Disco Escolhas vai na veia, joga “Luz” naquilo que não pode ser jogado para debaixo do tapete. Traz a reflexão, traz a poesia como ferramenta para enxergar o mundo e, ao mesmo tempo, a musicalidade para aliviar os nossos corpos, que sofrem em um cotidiano pesado e massacrante. O afeto e o amor são essenciais para a nossa sobrevivência e somente sabendo quem somos, em que contexto nós estamos, e nos amando, distinguindo aliados e adversários é que poderemos fazer de verdade nossas Escolhas.

Além de Sergio Vaz e Débora Silva, também participam do disco o locutor Jai Mahal, o cantor Al Griffiths (The Gladiators) e o rapper Black Alien. Foi lançado de forma independente e cinco anos após o primeiro disco homônimo, que contou com a participação de Dada Yute, Gerson da Conceição, Buguinha Dub, Funk Buia e Leandro Kintê. O trabalho os levou a quase quatro anos ininterruptos de turnê, com destaque para shows com Siba, Criolo e Gaby Amarantos.

Com Escolhas, a banda já fez diversos shows e fecha o ano realizando apresentações nos Centros Culturais dos quatro cantos da capital paulista, e também participou da Semana Internacional da Música, no Centro Cultural Vergueiro.

Veja Luz é formada por Fernando Novaes (vocalista), Marcus Rosa (baixista), Maurício Simões (teclados), Fernando Rangel (guitarra) e Marcelo Caverna (bateria).

Confira esse belo disco nas plataformas digitais e acompanhe a agenda de shows.

Site: http://vejaluz.com.br/

Página Facebook:  https://www.facebook.com/vejaluz/

*Joselicio Junior, mais conhecido como Juninho, é jornalista, presidente estadual do PSOL-SP e militante do Círculo Palmarino, entidade do movimento negro

Foto: Wlad Raeder

 



No artigo

x