Meio ambiente em risco: Tanque da Vale vaza e poluentes são despejados no mar do Espírito Santo

Diretora-presidente do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos considera o acidente grave; foram identificados minério de ferro, calcário e bentonita.

1642 0

Diretora-presidente do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos considera o acidente grave; foram identificados minério de ferro, calcário e bentonita.

Da Redação*

O Espírito Santo foi alvo de um acidente ambiental nesta sexta-feira (1). O Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) identificou um vazamento de efluentes de um tanque da Vale, no terminal de Praia Mole, na Serra, Grande Vitória. Ainda não é possível dizer qual é o tamanho do vazamento, que pode ter impacto no mar e na areia da praia.

A Vale informou que esse lançamento é previsto junto aos órgãos ambientais em situações de chuva extrema. NO entanto, a diretora-presidente do Iema, Andreia Carvalho, considera o episódio grave. “Até que a empresa comprove a não ocorrência dessa gravidade, nós consideramos grave. Ao nosso ver, há danos, há impacto no mar e há possível impacto na areia”, disse.

O vazamento começou por volta das 15h30, e quatro funcionários do Iema foram deslocados até o local. De acordo com Andréia, eles identificaram que os efluentes contêm poluentes como minério de ferro, calcário e bentonita, que podem ser provenientes do processo industrial e de drenagem.

“Esses efluentes estão sendo lançados no mar sem o tratamento adequado e isso pode estar ocorrendo por uma possível falha no equipamento de tratamento deles”, explicou a diretora-presidente. O Iema informou que a Vale pode ser punida com multa e vai receber uma intimação para que promova adequações necessárias para que o vazamento não volte a acontecer. A empresa também terá que apresentar soluções para reparar o dano ambiental causado. “Ela vai ser punida com rigor. Nós vamos continuar atuando no que for necessário para que a empresa cesse esse dano”, conclui Andreia.

A empresa informou que esse lançamento de efluentes é previsto junto aos órgãos ambientais em situações de chuva extrema, que o material é inerte e já havia passado pelo sistema de tratamento, sendo lançado por um ponto licenciado pelo órgão ambiental e monitorado constantemente pela Vale.

A empresa disse que comunicou o ocorrido imediatamente ao órgão ambiental e já realizou a coleta do material para análise físico-química. O relatório será encaminhado ao Iema. “A Vale reforça que adotou todos os procedimentos de controle previstos e que todos os equipamentos do sistema de drenagem estão funcionando normalmente de acordo com o projeto aprovado”, finaliza a nota enviada à imprensa.

*Com informações do G1

Foto: Divulgação/Iema

 

 



No artigo

x