Fascismo: Criminosos defecam, urinam e vandalizam Centro de Cidadania LGBT de São Paulo

Equipamentos foram roubados, cabos de computadores cortados e documentos rasgados e sujos com as fezes e urinas utilizadas para vandalizar o centro que acolhe e propõe políticas públicas para a população LGBT. Criminosos ainda...

2500 0

Equipamentos foram roubados, cabos de computadores cortados e documentos rasgados e sujos com as fezes e urinas utilizadas para vandalizar o centro que acolhe e propõe políticas públicas para a população LGBT. Criminosos ainda não foram identificados

Por Redação

O Centro de Cidadania LGBT Luiz Carlos Ruas, no centro de São Paulo, criado na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) para acolher e executar políticas públicas voltadas a população LGBT, foi totalmente vandalizado por criminosos motivados por homofobia nesse final de semana.

As motivações do ataque ficaram muito claras pelo teor do vandalismo: cabos de computadores foram cortados, o chão foi urinado e defecado e documentos da secretaria municipal de Direitos Humanos e Cidadania, pasta que administra o Centro, foram rasgados e usados para limpar as fezes e a urina dos criminosos.

Funcionários do centro encontraram o local totalmente destruído na manhã desta segunda-feira (4).

“Quando os responsáveis pela invasão defecam em nosso espaço de trabalho e colocam as fezes no corredor, quando esses mesmos agressores – de posse dos prontuários de pessoas por nós atendidas – rasgam documentos e os utilizam para limpeza, demonstram o desprezo por tudo que estes papéis representam e atestam na defesa dos direitos humanos e na promoção da cidadania. Urinaram em vasos de flores e os deixaram na recepção. Destruíram e sujaram itens pelos quais não tinham interesse, apenas para destruir – cadeiras, gaveteiros, computadores, projetor. Todas as torneiras foram abertas, com o claro objetivo de alagarem a casa. Além disso, todos os cabos dos computadores e da rede de telefonia foram cortados, com a intenção de calar a voz e o trabalho em prol da comunidade LGBT”, diz a nota divulgada pelo Centro nas redes sociais.

A polícia foi acionada mas os criminosos ainda não foram identificados.

Confira a íntegra da nota detalhando o ataque.



No artigo

x