Mulher de Moro defende no Instagram ex-sócio acusado por Tacla Duran de cobrar propina

"Sim! É meu amigo. Foi meu sócio, é meu compadre, é parceiro e é do bem. O tempo esclarece tudo!”, escreveu Rosângela Moro em postagem

838 0

“Sim! É meu amigo. Foi meu sócio, é meu compadre, é parceiro e é do bem. O tempo esclarece tudo!”, escreveu Rosângela Moro em postagem

Por GGN

A advogada Rosangela Moro, esposa do juiz da Lava Jato Sergio Moro, publicou uma foto no Instagram, na noite deste domingo (3), com uma mensagem em defesa do amigo do casal, Carlos Zucolotto.

Ex-sócio de Rosangela, Zucolotto é acusado por Rodrigo Tacla Duran, ex-advogado da Odebrecht, de ter cobrado 5 milhões de dólares “por fora”, para conseguir que “DD” ajudasse a melhorar o acordo de delação premiada negociado com os procuradores de Curitiba. O dinheiro serviria, segundo mensagens trocadas entre Zucolotto e Duran, para “resolver o pessoal que vai ajudar” na delação.

“Sim! É meu amigo. Foi meu sócio, é meu compadre, é parceiro e é do bem. O tempo esclarece tudo ! Enquanto isso seguimos na nossa amizade e de nossas famílias, enlouquecendo mentes criativas e destrutivas. @zucolotto e faz o melhor churrasco da vida toda”, escreveu Rosangela Moro.

Neste domingo, Luis Nassif divulgou reportagem vinculada a uma série exclusiva, feita em parceria com o DCM, mostrando que Zucolotto prometeu que a multa imposta a Tacla Duran seria de 5 milhões de dólares, um terço do valor original pedido pelos procuradores. Montante equivalente deveria ser pago “por fora”.

Dois dias depois da conversa, Duran recebeu um email do procurador Roberson Pozzobon, com cópia para Carlos Fernando dos Santos Lima, nos moldes informado por Zucolotto. O amigo de Moro já defendeu Santos Lima em uma ação revelada pela Folha após o procurador negar relações com o advogado.

Além de publicar o conteúdo do e-mail com exclusividade, a reportagem especial mostrou que os procuradores colocaram no acordo uma conta no exterior de Duran onde não havia movimentação. Leia mais aqui.

Duran depôs na semana passada à CPMI da JBS por meio de videoconferência, já que encontra-se refugiado na Espanha. Durante a sessão, ele apresentou as mensagens que trocou com Zucolotto, que passaram por perícia. No mesmo dia, Rosangela Moro decidiu desativar a página que criou em apoio a Moro no Facebook.

MÃO NO FOGO

Não é a primeira vez que Zucolotto recebe apoio público após as revelações de Duran. Quando o escândalo veio à tona, através da coluna de Mônica Bergamo, na Folha, o próprio juiz Sergio Moro fez questão de enviar ao jornal uma nota explicando a versão do amigo. Além de colocar a mão no fogo por Zucolotto, Moro lamentou que a imprensa tenha dado algum destaque para o que considerou denúncia sem lastro.

Ele também passou a dizer que Duran é um criminoso foragido que não merece crédito e, com base nisto, impediu que o ex-advogado da Odebrecht fosse ouvido em ação penal movida pela Lava Jato contra Lula.

Duran tem ajudado a desnudar os delizes e negociações obscuras em acordos de delação.

 

 



No artigo

x