Bolsominions organizam manifestação fake contra Lula para mostrar nas redes

Para se ter um ideia do pouco efeito produzido pela manifestação de 200 apoiadores de Bolsonaro, do outro lado da rua, duas mil pessoas aplaudiam o discurso do ex-presidente, em Campos, no Rio de Janeiro.

828 0

Para se ter um ideia do pouco efeito produzido pela manifestação de 200 apoiadores de Bolsonaro, do outro lado da rua, duas mil pessoas aplaudiam o discurso do ex-presidente, em Campos, no Rio de Janeiro.

Da Redação*

Um grupo de apoiadores do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) resolveu organizar uma manifestação contra Lula, com o objetivo de mostrar nas redes sociais. O ex-presidente segue tranquilo a terceira etapa de sua caravana, que está em Campos, no estado do Rio de Janeiro.

Com uma faixa com a inscrição “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”, cerca de 200 bolsominions fizeram protesto nas escadarias da Câmara de Vereadores de Campos, diante da praça onde Lula deu início à visita ao Estado do Rio. O grupo queimou bandeiras e gritou palavras de ordem. Entre os gritos, o nome de Carlos Alberto Brilhante Ustra (torturador, coronel do Exército, ex-chefe do DOI-CODI, um dos órgãos atuantes na repressão política, durante o período do ditadura militar).

Para se ter um ideia do pouco efeito produzido pela manifestação, do outro lado da rua, cerca de duas mil pessoas apoiavam o discurso do ex-presidente. No palanque, Lula chamou a população do Rio de cordata, mas disse que o fluminense se sente traído pela classe política.

Ele contou ainda ter sido alertado por seus colaboradores sobre o ânimo do eleitor do Rio. Interlocutores do ex-presidente dizem que, advertido, Lula afirmou que não se entra no jogo apenas quando se está em vantagem. “Se o povo está desacreditado, a gente tem que conversar seriamente com o povo”, discursou.
Sem citar Bolsonaro, Lula lembrou que um pré-candidato defendeu a posse de fuzis para fazendeiros. “Não vou dar fuzil para fazendeiro. Vou dar terra para trabalhador rural”, discursou Lula.
Após o encerramento do ato, que consumiu menos de uma hora, apoiadores e opositores de Lula trocaram insultos na rua, contidos por um cordão da PM.

Para ser levado ao ato, Lula dispensou o ônibus, símbolo da caravana, e optou por um carro de passeio. Lula já avisou que se prepara para ir ao Paraná, sede da “República de Curitiba”.

*Com informações do Valor

Foto: Divulgação



No artigo

x