Temer “rouba” obras de Alckmin pra fazer propaganda

Para se justificar do uso inadequado das imagens, a administração federal afirmou que "não se identifica obra específica, mas usa-se um todo simbólico do que acontece no país"

1237 0

Para se justificar do uso inadequado das imagens, a administração federal afirmou que “não se identifica obra específica, mas usa-se um todo simbólico do que acontece no país”

Da Redação*

O governo Michel Temer (MDB) vem usando imagens de obras de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, das quais o governo federal não participa, para promover seu programa de investimentos chamado Avançar.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

Propagandas de televisão do Palácio do Planalto que foram ao ar em dezembro e em janeiro exibiram imagens do Trevo de Ribeirão Preto e da rodovia Castello Branco, ambas paulistas, ao exaltar as medidas da administração federal para promover a recuperação da economia.

As duas obras rodoviárias são administradas por concessionárias do governo de São Paulo. O trevo, na rodovia Anhanguera, foi entregue no final de 2014 com investimento de R$ 120 milhões.

A Castello Branco é administrada pela CCR ViaOeste desde 2006, com término previsto para 2022.

Não há investimento do governo federal nos projetos.

Na peça publicitária do Planalto, depois de o narrador dizer que, “quando parece que a crise não tem jeito, o progresso volta com força”, aparece imagem do trevo.

“O governo federal criou o programa Avançar, que retomou mais de 7.000 obras paradas”, enaltece o locutor.

Em nota, o governo Temer afirmou que “a publicidade do programa Avançar usa imagens demonstrando a retomada da economia em vários setores, para mostrar a abrangência e amplitude da expansão do crescimento do país nos últimos meses”.

Segundo a administração federal, “não se identifica obra específica, mas usa-se um todo simbólico do que acontece no país”.

A gestão Alckmin não quis se manifestar.

Pré-candidato à Presidência, o tucano teme ser prejudicado pela impopularidade recorde do presidente Michel Temer se, ao endossar suas bandeiras, acabar sendo associado a ele.

*Com informações da Folha

Foto: Trevão de Ribeirão Preto/Reprodução Propaganda do Governo Federal



No artigo

x