Gleisi ressalta a importância de se lutar pela liberdade de manifestações no dia 24

Senadora e presidenta do PT ainda criticou a publicação de Daniela Kreling Lau, chefe de gabinete do presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, nas redes sociais, na qual pede a condenação do ex-presidente Lula.

1120 0

Senadora e presidenta do PT ainda criticou a publicação de Daniela Kreling Lau, chefe de gabinete do presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, nas redes sociais, na qual pede a condenação do ex-presidente Lula.

Por Anderson Huber, de Porto Alegre, especial para a Fórum

Com um clima de forte mobilização, com diversas faixas e bandeiras, a manifestação que ocorre no Parque da Redenção, em Porto Alegre, junta aproximadamente 1.000 pessoas. Durante o ato, algumas atividades foram realizadas, como oficina de cartazes, além de venda de livros em um dos estandes instalados no local.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

A presidenta do PT nacional, Gleisi Hoffmann, se fez presente Na sua fala, ela enfatizou a importância da mobilização popular. A senadora ainda destacou a necessidade de se preservar a autonomia de manifestações no dia 24 de janeiro, data do julgamento do ex-presidente: “Se depender do presidente do TRF-4, não haverá liberdade”, afirma.

Gleisi ainda criticou a publicação de Daniela Kreling Lau, chefe de gabinete do presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, nas redes sociais, na qual pede a condenação do ex-presidente. A presidenta do PT afirmou que, caso acontecesse isso em outros países, como Estados Unidos ou Alemanha, alguma atitude seria tomada. Ela ainda demonstrou sua insatisfação com a atuação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Me espanta a passividade do CNJ nesse país”.

Ao falar sobre a data marcada para o julgamento do ex-presidente Lula, Gleisi colocou que está posta uma disputa política, a qual, segundo ela, foi incentivada pelo TRF-4. “Se queriam uma disputa política, saibam que acertaram”, concluiu.

Fotos: Fernanda Rocha e Anderson Huber



No artigo

x