AO VIVO
13 de junho de 2016, 15h05

“A representatividade importa”, diz comissário da ONU sobre ausência de negros no governo

Segundo dados da Organização os negros estão afastados da alta cúpula dos governos em toda América Latina.

Segundo dados da Organização, os negros estão afastados da alta cúpula dos governos em toda América Latina; no Brasil, não há nenhum no primeiro escalão

Por Redação

O alto comissário de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Zeid Al Hussein, discursou nesta segunda-feira (13), em Genebra, na Suíça, sobre a baixa representatividade dos negros nos governos latino-americanos. Segundo ele, existem 150 milhões de negros no continente que não ocupam cargos de liderança.

Para o representante da ONU esse déficit pode ser prejudicial em vários âmbitos da vida pública e privada das pessoas, pois as vozes dos negros não são ouvidas.

“Esse deficit de representação na cúpula do poder afeta toda a sociedade: parlamentos, locais de trabalho no setor público e privado, escolas, tribunais, na imprensa –todos lugares em que às vozes dos afrodescendentes são dados muito pouco peso”, afirmou.

No Brasil, onde mais da metade da população é negra, o presidente interino Michel Temer nomeou um ministério repleto de homens brancos, o que gerou inúmeras críticas por parte da população em geral como também de movimentos sociais e entidades ligadas à questão dos direitos da população negra.

Nomeação tardia

No mesmo dia do discurso do comissário da ONU que se mostrou preocupado com a falta de negros no governo brasileiro, o presidente interino Michel Temer nomeou Luislinda Dias de Valois Santos como secretária especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, subordinada ao ministério da Justiça e Cidadania.

Ainda que não seja um cargo de primeiro escalão, a nomeação de Luislinda, que em 1984 se tornou a primeira juíza negra do país, é considerado um pequeno primeiro avanço do governo interino que, até então, vinha minimizando a questão da representatividade de negros e mulheres.

Luislinda é filiada ao PSDB.