31 de agosto de 2018, 15h22

Adolescente ganha bolsa em escola particular após sofrer racismo

O caso aconteceu na Praia Grande, litoral de São Paulo

Imagens do caso de racismo. Foto: Montagem
De acordo com informações do jornal A Tribuna, após sofrer racismo de colegas, uma estudante de 12 anos de uma escola municipal de Praia Grande, litoral de São Paulo, acabou ganhando uma bolsa de estudos e vai finalizar os ensinos Fundamental e Médio em uma instituição particular no Boqueirão, bairro nobre da cidade. A mãe da estudante, a vendedora Adelaide Alves, de 31 anos conversou com A Tribuna e disse que aguarda ansiosa para o início das aulas no novo colégio. “Ela está empolgada com tudo isso, já recebeu até o uniforme e o material. Ela não esqueceu o que...

De acordo com informações do jornal A Tribuna, após sofrer racismo de colegas, uma estudante de 12 anos de uma escola municipal de Praia Grande, litoral de São Paulo, acabou ganhando uma bolsa de estudos e vai finalizar os ensinos Fundamental e Médio em uma instituição particular no Boqueirão, bairro nobre da cidade.

A mãe da estudante, a vendedora Adelaide Alves, de 31 anos conversou com A Tribuna e disse que aguarda ansiosa para o início das aulas no novo colégio. “Ela está empolgada com tudo isso, já recebeu até o uniforme e o material. Ela não esqueceu o que aconteceu na escola antiga, mas ações como essa ajudam na recuperação do que ela sofreu”.

Mesmo antes do convite feito pela diretora da escola particular, a única certeza que Adelaide tinha era a de que a filha não estudaria mais na unidade municipal Joaquim Augusto Ferreira Mourão. “Lá, o bullying, com agressões verbais e bilhete anônimo com ameaça de morte, estaria acontecendo desde junho. A menina também teria sido chamada de ‘vagabunda’ e ‘macaca’ por outras alunas”.