15 de março de 2019, 07h41

Agora deputado, bolsonarista que quebrou placa arranca homenagem a Marielle em ponte de Brasília

Nesta quinta-feira (14), quando completou um ano do assassinato de Marielle, Daniel Silveira foi até à ponte Costa e Silva, em Brasília, para arrancar um adesivo em homenagem à vereadora colada por feministas do Movimento de Mulheres Olga Benário

Daniel Silveira arranca homenagem a Marielle em ponte de Brasília (Reprodução)
A perseguição de Daniel Silveira (PSL/RJ), que durante a campanha à Câmara Federal quebrou uma placa em homenagem a Marielle Franco (PSol), continua em Brasília. Nesta quinta-feira (14), quando completou um ano do assassinato da vereadora, o deputado bolsonarista foi até à ponte Costa e Silva, na capital federal, para arrancar um adesivo em homenagem à vereadora colada por feministas do Movimento de Mulheres Olga Benário. As mulheres haviam rebatizado a placa com o nome de Marielle em ato simbólico para lembrar a luta da vereadora. Daniel esteve no local e gravou um vídeo, publicado nas redes sociais, retirando a...

A perseguição de Daniel Silveira (PSL/RJ), que durante a campanha à Câmara Federal quebrou uma placa em homenagem a Marielle Franco (PSol), continua em Brasília.

Nesta quinta-feira (14), quando completou um ano do assassinato da vereadora, o deputado bolsonarista foi até à ponte Costa e Silva, na capital federal, para arrancar um adesivo em homenagem à vereadora colada por feministas do Movimento de Mulheres Olga Benário. As mulheres haviam rebatizado a placa com o nome de Marielle em ato simbólico para lembrar a luta da vereadora.

Daniel esteve no local e gravou um vídeo, publicado nas redes sociais, retirando a mensagem sob o nome da ponte que dizia: “Nós, mulheres brasileiras, em nome da Democracia, da História e dos Direitos Humanos, soberanamento renomeamos este monumento para Marielle Franco”.

O bolsonarista ainda levou o adesivo para o plenário da Câmara para fazer um discurso atacando a memória de Marielle.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.