19 de abril de 2018, 09h23

“Al Jazera, Al Qaeda e Al fafa não são a mesma”, diz Pimenta para Ana Amélia

Em um discurso, Ana Amélia demonstrou total desconhecimento do mundo árabe e foi acusada de xenofobia por Gleisi Hoffmann

O deputado federal, Paulo Pimenta (PT-RS), postou em sua conta do Twitter, na manhã desta quinta-feira (19), frase ironizando a fala da Senadora Ana Amelia (PP-RS) sobre entrevista de Gleisi Hoffmann à rede de TV Al Jazeera.

Em um discurso no Senado, Ana Amélia demonstrou total desconhecimento do mundo árabe: “falar que Lula é preso político em rede internacional é desserviço ao Brasil” e que espera que essa “exortação não tenha sido para convocar o Exército Islâmico a vir ao Brasil proteger o PT!”.

“Senadora @anaamelialemos Al face, Al fafa, Al môndegas não são a mesma coisa. Importante saber para não comer uma achando q é a outra. Além disso Al Jazerara e Al Qaeda também são coisas diferentes. Explico isso para evitar confundir Alhos com Bugalhos e dizer bobagens @gleisi

Outra a ironizar o escorregão da senadora foi a deputada estadual, conterrânea e presidenciável Manuela D’Ávila (PCdoB-RS). Em sua conta no Facebook ela postou:

Mais algum? ? vergonha do desconhecimento e ignorância da Senadora Ana Amélia!

“(Explicação para os que não assistiram: Senadora Ana Amelia disse que a rede de TV ALJazeera era o grupo Al Qaeda e que o PT estava chamando a AL Qaeda para lutar pra libertar Lula. Quando uma senadora cria fake news… só resta comer um Al Fajor mesmo!)”

Xenofobia

Gleisi apontou xenofobia por parte da senadora do PP. “A senadora q incentivou a violência contra a caravana do Lula no Sul do país, mandando erguer o relho, agora externa seu preconceito e xenofobia com os árabes, ao me criticar por ter falado com a TV Al Jazeera. Entrevistas q dei com mesmo conteúdo a BBC, RTP, EFE não a incomodaram”, respondeu.

Por conta da entrevista da presidente do PT, a Procuradoria-Geral da República instaurou procedimento preliminar, nesta quarta-feira (18), para analisar a possibilidade de abrir inquérito sobre um vídeo gravado pela presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), para a TV Al Jazeera. A determinação partiu da titular da Secretaria Penal da PGR, subprocuradora Raquel Branquinho.

Por outro lado, o deputado federal Major Olímpio (PSL-SP) entrou também com uma representação na PGR e no Senado onde pede ao Tribunal Superior Eleitoral que o Partido dos Trabalhadores seja extinto por causa das declarações.