Imprensa livre e independente
20 de agosto de 2018, 19h24

Alckmin confunde o nome da própria vice: “Convidei a senadora Kátia Abreu”

Sua vice é, na verdade, a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS), enquanto Kátia Abreu (PDT) é a candidata a vice de Ciro Gomes; ato falho se deu em entrevista ao vivo na Record

Foto: Agência Brasil
Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à presidência da República, cometeu um ato falho ao vivo durante entrevista ao programa “O voto na Record”, da TV Record, no início da noite desta segunda-feira (20). Ele confundiu o nome de sua vice, a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) em uma fala sobre “empoderamento” das mulheres. “Precisamos empoderar as mulheres, (por isso) convidei para vice-presidente a senadora Kátia Abreu”, afirmou. Na sequência, constrangido, se corrigiu: “Digo, Ana Amélia”. Alckmin fala que sua vice é a Katia Abreu. pic.twitter.com/Nfv12t7hCt — mariel_mariel_mariel (@mariel_mariel_m) 20 de agosto de 2018 Há pouco tempo Alckmin cometeu um outro ato...

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à presidência da República, cometeu um ato falho ao vivo durante entrevista ao programa “O voto na Record”, da TV Record, no início da noite desta segunda-feira (20).

Ele confundiu o nome de sua vice, a senadora Ana Amélia (Progressistas-RS) em uma fala sobre “empoderamento” das mulheres.

“Precisamos empoderar as mulheres, (por isso) convidei para vice-presidente a senadora Kátia Abreu”, afirmou. Na sequência, constrangido, se corrigiu: “Digo, Ana Amélia”.

Há pouco tempo Alckmin cometeu um outro ato falho ao confundir nomes. Em uma sabatina mediada por Luciano Huck o tucano confundiu a esposa do apresentador com Eliana e acabou saudando a apresentadora do SBT por engano. “Primeiro, eu queria cumprimentar a você, Luciano [Huck], a todos e a todas, e saudar a Eliana”.

Veja também:  Autor de 'texto bomba' compartilhado por Bolsonaro é um investidor filiado ao partido Novo

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum