Imprensa livre e independente
31 de janeiro de 2018, 20h06

Além de Chico Buarque, Caetano, Marisa Monte e outros artistas denunciam ACM neto nas redes

Uma campanha online acusa o prefeito de Salvador de não pagar direitos autorais aos artistas em grandes eventos como Réveillon e Carnaval Por Redação Além de Chico Buarque, outros artistas abraçaram a campanha contra o prefeito de Salvador, ACM Neto, acusado de não pagar direitos autorais aos músicos em grandes eventos como Réveillon e Carnaval. Marisa Monte, Caetano Veloso, Djavan e Nando Reis, depois de Chico, compartilharam um texto que detalha os débitos da prefeitura com Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), que é responsável pela a arrecadação e distribuição dos direitos autorais das músicas aos seus autores. O...

Uma campanha online acusa o prefeito de Salvador de não pagar direitos autorais aos artistas em grandes eventos como Réveillon e Carnaval

Por Redação

Além de Chico Buarque, outros artistas abraçaram a campanha contra o prefeito de Salvador, ACM Neto, acusado de não pagar direitos autorais aos músicos em grandes eventos como Réveillon e Carnaval.

Marisa Monte, Caetano Veloso, Djavan e Nando Reis, depois de Chico, compartilharam um texto que detalha os débitos da prefeitura com Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), que é responsável pela a arrecadação e distribuição dos direitos autorais das músicas aos seus autores. O órgão também apoia a iniciativa dos artistas.

Reprodução/Instagram

“Salvador foi eleita a ‘cidade da música’ pela Unesco e é a capital brasileira que mais promove festas e eventos ao longo do ano. Porém, a prefeitura da cidade é desrespeitosa e prejudicial com os autores, pois os direitos autorais de eventos públicos, como o Carnaval e o Réveillon, não são pagos devidamente”, diz um trecho da mensagem, que informa ainda ao internauta que, há dois anos, a dívida da prefeitura com o Ecad era de R$30 milhões e, em 2014, foi proposto um acordo para a prefeitura pagar R$8 milhões, mas a proposta foi recusada por ACM Neto.

Veja também:  Paulo Guedes x Rodrigo Maia, a mais nova crise do governo Bolsonaro

Em nota à imprensa, o prefeito de Salvador disse que tem “respeito à manifestação” mas se justificou sob o argumento do “conflito de informações”. Segundo ele, há uma “divergência antiga” entre a prefeitura e o Ecad que antecederia a sua gestão.

“Existem muitas dúvidas sobre como foi feita a cobrança, se o montante cobrado é devido, a natureza jurídica que dá ensejo ou não ao direito cobrado. A Procuradoria (Geral do Município) e a Saltur (Empresa Salvador Turismo) tratam desse assunto há algum tempo. O município só pode agir e proceder depois que não houver dúvidas judiciais quanto à cobrança”, pontuou ACM Neto.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum