03 de julho de 2018, 11h39

Além de eleito presidente, Obrador fez maioria no Congresso e metade dos governadores

Sua coligação fará 65 dos 128 senadores e 255 dos 500 deputados. Das oito eleições estaduais, seu partido venceu em quatro

Além de se eleger presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, viu seu partido vencer quatro das oito eleições para governador, fez a prefeita da capital e ainda obteve maioria no Congresso.

De acordo com os primeiros resultados divulgados pelo Instituto Nacional Eleitoral, Obrador deve obter 53% dos votos – votação que os mexicanos não viam desde os tempos em que o PRI fraudava as eleições.

As projeções também indicam que ele terá maioria no Congresso. Sua coligação fará 65 dos 128 senadores e 255 dos 500 deputados. Das oito eleições estaduais, seu partido, o Movimento da Regeneração Nacional (Morena), venceu em quatro – Veracruz, Morelos, Tabasco e Chiapas – e ainda elegeu Claudia Sheinbaum, a primeira mulher para comandar a Cidade do México.

Em sua primeiro discurso, após a vitória, López Obrador disse que seu governo vai representar todas as pessoas, tanto ricos como pobres, mas que vai dar preferência aos “mais humildes e esquecidos, especialmente os povos indígenas” do país. Apesar disto, ele tentou assegurar aos investidores seu compromisso com políticas econômicas prudentes e com a independência do Banco Central.

“Esse novo projeto nacional buscará estabelecer uma democracia autêntica e não pretendemos estabelecer uma ditadura. As mudanças serão profundas, mas de acordo com a ordem estabelecida”, disse.

Conversa com Trump

Trump e Obrador conversaram por telefone logo após a confirmação de sua eleição. “Recebi um telefonema de Trump e conversamos durante meia hora. Eu lhe pedi que discutíssemos um acordo integral e projetos de desenvolvimento que criem empregos no México. Com isso, podemos reduzir a imigração e melhorar a segurança”, escreveu Obrador no Twitter.

O presidente americano também comentou o diálogo. “Acho que o nosso relacionamento será muito bom e acredito que isso vai nos ajudar na fronteira”, disse Trump, em declarações à imprensa na Casa Branca. “Tivemos uma grande conversa, de cerca de meia hora, e falamos sobre a segurança das fronteiras, comércio e Nafta (Tratado de Livre Comércio da América do Norte), com a possibilidade de um acordo em separado, apenas entre México e EUA.”

Putin e Temer

O presidente russo, Vladimir Putin, parabenizou Obrador e destacou que a Rússia “tem elevada estima por suas relações amigáveis com o México” e manifestou sua esperança de que durante seu mandato Obrador dedique à cooperação entre os dois países a atenção merecida”.

Já Michel Temer destacou, pelo Twitter, que a amizade entre o Brasil é forte e antiga e refirmou a plena disposição do país de trabalhar em favor de uma maior aproximação entre os dois países.

Com informações do Estadão