09 de outubro de 2018, 14h58

Alexandre Frota pode ser preso a partir desta quarta-feira por não pagar pensão alimentícia

Frota não podia ser preso durante o período eleitoral, que vai até a meia-noite desta terça-feira e ainda não tem o foro privilegiado, pois não tomou posse

Mayã Frota e sua mãe, Samantha Gondim. Foto: Instagram

Alexandre Frota (PSL), ex-ator pornô que acaba de ser eleito deputado federal, pode ser preso caso não pague em três dias a dívida de pensão alimentícia que tem com o filho, Mayã Frota, de 18 anos.

O processo que o rapaz move contra o pai teve mais uma movimentação na última semana. A Justiça pediu a soma da dívida, que chega a cerca de R$ 60 mil. Frota não podia ser preso durante o período que antecedeu a eleição, que vai até a meia-noite desta terça-feira (9).

A causa começou com o valor de R$ 9.176,24 e foi acrescida de juros e correção pela inadimplência do ex-ator. Eleito, Frota ainda não foi diplomado e portanto ainda não tem foro privilegiado como deputado.

Procurado pelo EXTRA, Mayã disse que só irá se pronunciar através de seus advogados no Brasil e que não dará entrevistas sobre o assunto. Alexandre Frota não respondeu à equipe.

O filho de Frota, que vive em Antuérpia, na Bélgica, postou um tuite, no final da noite deste domingo (7), logo após a vitória do pai, onde diz que Frota “defende a família, mas queria me abortar”. O rapaz completa ainda: “Como ele virou atual deputado federal de São Paulo, não sei”.

“Eu sou filho de um ex-ator pornô, ex viciado em cocaína, que defende a família, mas queria me abortar. Como ele virou atual deputado federal de São Paulo, não sei.”

Mayã publicou ainda imagem do pai, Alexandre Frota, o bloqueando no Twitter.

Com informações do Extra