29 de agosto de 2018, 19h18

‘Americanas’ vai punir vendedores de camisetas pró-Bolsonaro e anti-Lula de seu site

Camisetas de apoio ao candidato Jair Bolsonaro e que faziam referência depreciativa à Lula estavam disponíveis na loja online da 'Americanas', mas foram retiradas do ar após a repercussão negativa

Reprodução/Americanas.com
A rede ‘Lojas Americanas’ emitiu um posicionamento, no final da tarde desta quarta-feira (29), sobre a venda  de camisetas pró-Bolsonaro e anti-Lula em seu site. O caso gerou polêmica nas redes sociais ao longo do dia. Dezenas de modelos de camisetas com estampas de apoio ao candidato do PSL e frases repetidas pelo militar da reserva eram vendidas por um preço médio de R$34,90. Também havia dezenas de modelos de camisetas e até body para bebês com a estampa de uma mão com quatro dedos e a inscrição “Fora, ladrão”. O nome do produto era “Fora ladrão Lula”. Reprodução/Americanas.com “Essa...

A rede ‘Lojas Americanas’ emitiu um posicionamento, no final da tarde desta quarta-feira (29), sobre a venda  de camisetas pró-Bolsonaro e anti-Lula em seu site. O caso gerou polêmica nas redes sociais ao longo do dia.

Dezenas de modelos de camisetas com estampas de apoio ao candidato do PSL e frases repetidas pelo militar da reserva eram vendidas por um preço médio de R$34,90. Também havia dezenas de modelos de camisetas e até body para bebês com a estampa de uma mão com quatro dedos e a inscrição “Fora, ladrão”. O nome do produto era “Fora ladrão Lula”.

Reprodução/Americanas.com

“Essa surreal linhas de camisetas Bolsonaro que as Lojas Americanas lançaram em todo o Brasil não fere a lei eleitoral?”, questionou um internauta. Apoiadores do deputado federal, por outro lado, comemoraram: “O cara nem é presidente e já começou a movimentar a economia”, brincou um usuário do Twitter.

Reprodução/Americanas.com

Fórum procurou a assessoria de imprensa da rede de lojas para ter um posicionamento sobre a venda de camisetas de cunho político em período eleitoral. Em uma nota curta, a empresa afirmou que “desautoriza a venda de qualquer material de campanha política” e que os “sellers”, isto é, lojas independentes que usam a loja virtual da Americanas, serão suspensos. A companhia não informou por quanto tempo os produtos ficaram disponíveis no site.

Após o contato da reportagem, as camisetas em questão passaram a constar como “produto esgotado”.