Imprensa livre e independente
16 de julho de 2015, 17h15

Angela Merkel fez menina palestina chorar em programa de TV

Reem, de 13 anos, falava, em alemão fluente, sobre seu desejo de ter uma vida normal como seus colegas. Foi quando a chanceler alemã defendeu, sem rodeios, a política imigratória do país. Após garota cair em prantos, Merkel tentou consolá-la. Assista

Reem, de 13 anos, falava, em alemão fluente, sobre seu desejo de ter uma vida normal como seus colegas. Foi quando a chanceler alemã defendeu, sem rodeios, a política imigratória do país. Após garota cair em prantos, Merkel tentou consolá-la. Assista Por Redação A chanceler alemã Angela Merkel mostrou que não age com mão de ferro apenas em negociações políticas. Durante um programa de TV filmado em uma escola, ela levou uma garota palestina aos prantos após defender a política de imigração de seu país. Ao presenciar a reação da jovem, tentou confortá-la com um “afago”, que gerou polêmica nas...

Reem, de 13 anos, falava, em alemão fluente, sobre seu desejo de ter uma vida normal como seus colegas. Foi quando a chanceler alemã defendeu, sem rodeios, a política imigratória do país. Após garota cair em prantos, Merkel tentou consolá-la. Assista

Por Redação

A chanceler alemã Angela Merkel mostrou que não age com mão de ferro apenas em negociações políticas. Durante um programa de TV filmado em uma escola, ela levou uma garota palestina aos prantos após defender a política de imigração de seu país. Ao presenciar a reação da jovem, tentou confortá-la com um “afago”, que gerou polêmica nas redes sociais.

Reem, de 13 anos, falava em alemão fluente sobre seu desejo de ter uma vida normal como seus colegas. “Eu tenho metas como qualquer pessoa. Eu quero estudar como eles. É muito desagradável ver como os outros podem aproveitar a vida, e eu não posso”, disse a menina, que vive com a família na cidade de Rostock, no norte da Alemanha, há quatros anos, sob o risco de ser deportada. Eles vieram de um campo de refugiados no Líbano, onde moram cerca de 450 mil palestinos, segundo informações da Organização das Nações Unidas (ONU).

Veja também:  Por determinação judicial, Bolsonaro se retrata e pede desculpas públicas à deputada Maria do Rosário, do PT

Merkel afirmou entender a situação de Reem, mas destacou que a política às vezes “é dura”. “Você está bem na minha frente agora e é uma pessoa extremamente simpática. Mas você também sabe que há milhares e milhares nos campos de refugiados palestinos no Líbano. Se disséssemos para todos virem… Nós simplesmente não conseguiríamos lidar com isso. Alguns terão de ir para casa”, declarou.

Logo em seguida, a menina caiu em lágrimas. A chanceler se aproxima e diz para que não se preocupe, que falou muito bem. O moderador explica então que a reação de Reem não se devia ao fato de ter falado bem ou não, mas à situação de angústia que ela e sua família enfrentam. “Já sei que é uma situação muito complicada”, Merkel responde. “Mas, apesar de tudo, quero fazer um afago”. É aí que a chefe de estado “faz um carinho” na garota. A atitude, considerada desajeitada, virou trending topic no Twitter da Alemanha, com a hashtag #MerkelStreichelt (“Merkel faz carinho”, na tradução para o alemão).

Veja também:  Veja desembarca da Lava Jato e pede "punição" a Moro e Dallagnol

Confira o vídeo:

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum