13 de setembro de 2018, 20h55

Antes de assumir a presidência do STF, Toffoli suspende ação penal contra Mantega na Lava Jato

O ministro do STF também estendeu a suspensão ao casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura, também réus na ação

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta quinta-feira (13) a ação penal contra o ex-ministro Guido Mantega na Operação Lava Jato. A determinação foi anunciada pouco antes de Toffoli assumir a presidência da Corte, de acordo com informações de Erick Gimenes, do G1.

Contra o ex-ministro pesa a acusação de solicitação de propina no valor de R$ 50 milhões para a Odebrecht, em troca da edição de medidas provisórias.

Toffoli considerou que, “ao receber a denúncia do Ministério Público Federal por corrupção passiva, o juízo do Paraná tentou burlar um entendimento do STF de que as doações eleitorais por meio de caixa 2 constituem crime eleitoral de falsidade ideológica”.

O agora presidente do STF estendeu a suspensão ao casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura, também réus na ação.