18 de novembro de 2014, 09h38

Ao comentar operação Lava Jato, Boechat chama FHC de ‘oportunista’

O jornalista afasta a ideia de que a corrupção na estatal seja resultado da gestão petista: "O presidente Fernando Henrique Cardoso é um homem suficientemente experiente e bem informado para saber que na Petrobras se roubou também durante o seu governo".

O jornalista afasta a ideia de que a corrupção na estatal seja resultado da gestão petista: “O presidente Fernando Henrique Cardoso é um homem suficientemente experiente e bem informado para saber que na Petrobras se roubou também durante o seu governo”

Por Redação

Nesta segunda-feira (17), o jornalista Ricardo Boechat comentou a operação Lava Jato, da Polícia Federal, em seu programa na Band News FM. Na ocasião, ele afirmou que os casos de corrupção na Petrobras aconteceram independentemente de quem estava à frente no Palácio do Planalto. Ele criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por dizer ter ‘vergonha’ do que acontece na estatal, sem citar, segundo o jornalista, que acontecia o mesmo durante o seu governo.

Confira partes do comentário de Boechat:

“O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso veio a público para dizer que sentia vergonha do que estava acontecendo na Petrobras. Eu queria fazer a seguinte observação: Acho que ele [Fernando Henrique Cardoso] está sendo oportunista quando começa a sentir vergonha com a roubalheira ocorrida na gestão alheia. É o tipo de vergonha que tem memória controlada pelo tempo. A partir de um certo tempo para trás ou para frente você começa a sentir vergonha, porque o presidente Fernando Henrique Cardoso é um homem suficientemente experiente e bem informado para saber que na Petrobras se roubou também durante o seu governo. ‘Ah, mas não pegaram ninguém!’ Ora, presidente! Dá um desconto porque só falta o senhor achar que na gestão do Sarney não teve gente roubando na Petrobras. Na gestão do Fernando Collor não teve gente roubando na Petrobras. Na gestão do Itamar Franco não teve gente roubando na Petrobras. A Petrobras sempre teve, em maior ou menor escala, denúncias que apontavam desvios. Eu ganhei um Prêmio Esso em 89 denunciando roubalheira na Petrobras. […] A Petrobras sempre foi vítima de quadrilhas que operavam lá dentro formada por gente dos seus quadros ou que foram indicados por políticos e por empresários, fornecedores, empreiteiras. Então essa vergonha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é sim uma tentativa de manipulação política partidária da questão policial”, afirmou.

Além disso, o jornalista falou sobre as manifestações que tem ocorrido no país contra o governo e disse não ver sentido nos pedidos de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. “Acho que pegar essas manifestações para vender a ideia de que está se trabalhando um impeachment, ou se pedindo um impeachment da presidente Dilma é tão ridículo quanto estar nessas manifestações para pedir a volta a ditadura militar. Quem está pedindo o impeachment, mesmo que não peça a volta da ditadura militar está trabalhando com o mesmo DNA golpista, o mesmo tipo de idiotice, de imbecilidade, porque a Dilma, queiram ou não, foi eleita legitimamente não pelos nordestinos, como parte deles prefere de forma neurótica e preconceituosa propagar, mas pelos mineiros que Aécio Neves governou, cariocas e fluminenses que jamais foram dados a votar em governantes da situação. Então, ela foi eleita pela maioria dos votos do Brasil”, comentou Boechat.

Foto de capa: Reprodução/YouTube