Seja Sócio Fórum
24 de março de 2019, 11h18

“Aonde chegou esse povo? Vergonha”, diz Marcelo D2 sobre pessoas que comemoraram incêndio em favela

O incêndio tomou conta dos barracos da Favela do Cimento, à beira da Avenida Radial Leste, no entorno do Viaduto Bresser, zona leste de São Paulo

Foto: Na Moral Produções/Divulgação
Marcelo D2 usou sua conta no Twitter para demonstrar indignação com o que foi registrado durante o incêndio que destruiu a Favela do Cimento, neste sábado à noite (23), em São Paulo. O músico compartilhou vídeo de um internauta, que mostra algumas pessoas que passavam de carro pelo local comemorando. Segundo a postagem, houve buzinaço e gritos de “vagabundos” em direção à favela, que era, ao mesmo tempo, dizimada pelo fogo. “Aonde chegou esse povo? Vergonha”, tuitou o músico. Aonde chegou esse povo ? Vergonha https://t.co/ddR9JsY3Ol — Marcelo D2 (@Marcelodedois) 24 de março de 2019 Reintegração O incêndio tomou conta...

Marcelo D2 usou sua conta no Twitter para demonstrar indignação com o que foi registrado durante o incêndio que destruiu a Favela do Cimento, neste sábado à noite (23), em São Paulo. O músico compartilhou vídeo de um internauta, que mostra algumas pessoas que passavam de carro pelo local comemorando.

Segundo a postagem, houve buzinaço e gritos de “vagabundos” em direção à favela, que era, ao mesmo tempo, dizimada pelo fogo.

“Aonde chegou esse povo? Vergonha”, tuitou o músico.


Reintegração

O incêndio tomou conta dos barracos da Favela do Cimento, que ficavam à beira da Avenida Radial Leste, no entorno do Viaduto Bresser, zona leste de São Paulo. Não houve vítimas registradas.

Os moradores seriam alvo de uma reintegração de posse, marcada para 17 horas deste domingo (24) e prometiam resistir. O padre Júlio Lancelotti, que estaria presente na reintegração em apoio aos moradores, receava um conflito, pois a situação era tensa, de acordo com ele.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum