Imprensa livre e independente
29 de agosto de 2018, 17h35

Aplicativo do Novo troca pontos por prêmios, prática ilegal pela legislação eleitoral

Um aplicativo para celular lançado pelo Partido Novo, para aumentar o número de apoiadores da campanha do presidenciável João Amoêdo, promete trocar pontos obtidos no programa por prêmios e recompensas

Um aplicativo para celular lançado pelo Partido Novo, para aumentar o número de apoiadores da campanha do presidenciável João Amoêdo, promete trocar pontos obtidos no programa por prêmios e recompensas. No entanto, tal prática é vedada pela legislação eleitoral. Conforme explicou o perfil do próprio Tribunal Superior Eleitoral no Twitter, “A compra de votos é crime eleitoral, assim como utilizar organização comercial de vendas, distribuição de mercadorias, prêmios e sorteios para propaganda ou aliciamento de eleitores”. O caso do Novo surge na mesma semana que a notícia de que influenciadores digitais teriam sido pagos para fazer tweets elogiosos à campanha...

Um aplicativo para celular lançado pelo Partido Novo, para aumentar o número de apoiadores da campanha do presidenciável João Amoêdo, promete trocar pontos obtidos no programa por prêmios e recompensas.

No entanto, tal prática é vedada pela legislação eleitoral. Conforme explicou o perfil do próprio Tribunal Superior Eleitoral no Twitter, “A compra de votos é crime eleitoral, assim como utilizar organização comercial de vendas, distribuição de mercadorias, prêmios e sorteios para propaganda ou aliciamento de eleitores”.

O caso do Novo surge na mesma semana que a notícia de que influenciadores digitais teriam sido pagos para fazer tweets elogiosos à campanha do atual governador do Piauí à reeleição. A diferença é que o pagamento de influenciadores, desde que publicizado, não fere a legislação eleitoral.

Segundo a assessoria de imprensa do Partido Novo, “Essa é uma mensagem padrão do aplicativo contratado, cuja alteração já foi solicitada. O Partido Novo não oferece nenhum tipo de contrapartida durante o processo eleitoral. O aplicativo apenas ranqueia o engajamento dos seus usuários para estimular a divulgação do partido e da candidatura”.

Veja também:  Após atos, rejeição a Bolsonaro sobe cinco pontos e supera aprovação pela primeira vez, mostra pesquisa

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum