14 de dezembro de 2018, 15h34

Após ameaças a Freixo, D2 ironiza Bolsonaro: “Quais deputados do Rio fecham com milicianos?”

Indignado, o músico carioca mandou um recado muito direito ao presidente eleito e seus apoiadores depois da revelação dos planos da milícia para executar Marcelo Freixo: " Quais políticos do Rio de Janeiro tem ex-policiais no seu staff? Pessoas de bem é o caralho. Assassinos!"

Marcelo D2 (Divulgação)

O músico carioca Marcelo D2, que durante a campanha eleitoral gerou polêmica nas redes sociais por seus posicionamentos duros contra o presidente eleito Jair Bolsonaro, voltou nesta sexta-feira (14) a criticar o capitão da reserva e seus apoiadores.

Na quinta-feira (13), conforme noticiado pela Fórum, a Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu planos de milicianos para executar o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) neste sábado (15) – Freixo foi o presidente da CPI das Milícias em 2008 e, desde então, sofre constantes ameaças de morte.

D2, então, usou o fato para mandar um recado direto a Bolsonaro, que tem em sua equipe de governo dezenas de policiais, ex-policiais e militares – setor usualmente associado a milícia no Rio de Janeiro. O presidente eleito, inclusive, já chegou a defender a legalização de grupos paramilitares no Brasil e seu filho, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), a regularização das milícias.

“Quais deputados do Rio fecham com milicianos a anos ? Quais políticos do Rio de Janeiro tem ex- policiais no seu ‘staff’,, ou digamos ‘fantasmas’? Pessoas de bem é o caralho, assassinos, isso sim! Brasil acima de tudo, Deus acima de todos !”, ironizou o músico.

Indignado, prosseguiu: “E essa cambada de trouxa dá cada vez mais poder pra esses assassinos, e seus cartéis. Que tipo de gente são vocês? Que ainda apoiam esses assassinos em nome de Deus e suas religiões? Que tipo de ser humano são vocês que ainda apoiam esses que MATAM todos que tentam levantar a voz contra esses assassinos? Pessoas de Bem é o caralho, voc~es são a escória do mundo”.

Confira a sequência.

Coletiva 

Na tarde desta sexta-feira (14), pouco antes das alfinetadas de D2, Freixo concedeu entrevista coletiva em que falou sobre as novas ameaças. “Bandidos querem matar defensores de Direitos Humanos”, afirmou. Saiba mais aqui.