ASSISTA
21 de Março de 2014, 18h48

Após ler mensagem, jovem convulsiona: “Anêmico desgraçado. Morre seu negro”

Pichação no banheiro da Universidade Regional do Cariri atacava estudante com anemia falciforme por sua cor e doença

Pichação no banheiro da Universidade Regional do Cariri atacava estudante com anemia falciforme por sua cor e doença

Por Redação

O estudante Pedro Victor Araújo, que sofre de anemia falciforme, convulsionou após encontrar pichado no banheiro da Universidade Regional do Cariri (Urca) uma mensagem racista que dizia: “Anêmico desgraçado. Morre seu negro”. A manifestação preconceituosa ocorreu no último dia 13.

O Grupo de Mulheres Negras do Cariri, Pretas Simoa, realizou uma manifestação na manhã desta sexta-feira (21) no campus Pimenta da Urca, protestando contra o racismo na universidade. Após o ato, Araújo voltou a convulsionar, sendo socorrido pelas manifestantes. No protesto, as ativistas do Pretas Simoa questionaram a falta de assistência da instituição para o universitário que, devido a seu problema de saúde, requer amparo médico e psicológico.

Este não é o primeiro caso de racismo que acontece na Urca. Em 2013, uma professora do curso de História teve sua companheira chamada de “macaca”, também por meio de uma pichação na universidade. O Pretas Simoa tem prestado assistência ao aluno, que foi acompanhado por integrantes do grupo para registrar o boletim de ocorrência. Segundo as ativistas, esse acompanhamento deveria ser oferecido pela própria instituição, que “tem a obrigação de conceder amparo médico e psicológico e efetivar, com urgência, medidas educacionais em combate ao racismo”, afirmou uma das integrantes do coletivo.

Veja as cenas do protesto: