13 de agosto de 2018, 18h11

Após recusar ser vice de Bolsonaro, Janaína Paschoal será candidata à deputada estadual

“Há esse movimento, desde o impeachment, para quem quer fazer as coisas de maneira diferente se voluntariarem, por isso me pareceu natural. Até meu pai pediu para eu me candidatar”, diz ela

(foto: Edilson Rodrigues)
Após não aceitar compor a chapa de Jair Bolsonaro (PSL) como candidata à vice-presidente, a advogada Janaína Paschoal, que ganhou notoriedade durante o processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, vai disputar uma vaga à Assembleia Legislativa de São Paulo. A informação é de Severino Motta, do BuzzFeed News. O registro de sua candidatura à deputada estadual ainda não foi feito, o que deve ocorrer nas próximas horas. Segundo Janaína, a decisão pela candidatura foi um dilema até “a última hora”. “Eu ensino aos meus alunos que eles precisam se preparar para ocupar espaços, incentivo as meninas a entrarem na...

Após não aceitar compor a chapa de Jair Bolsonaro (PSL) como candidata à vice-presidente, a advogada Janaína Paschoal, que ganhou notoriedade durante o processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, vai disputar uma vaga à Assembleia Legislativa de São Paulo. A informação é de Severino Motta, do BuzzFeed News. O registro de sua candidatura à deputada estadual ainda não foi feito, o que deve ocorrer nas próximas horas.

Segundo Janaína, a decisão pela candidatura foi um dilema até “a última hora”. “Eu ensino aos meus alunos que eles precisam se preparar para ocupar espaços, incentivo as meninas a entrarem na política. E há esse movimento, desde o impeachment, para quem quer fazer as coisas de maneira diferente se voluntariarem, por isso me pareceu natural. Até meu pai pediu para eu me candidatar”, afirmou. De acordo com a advogada, seu foco, caso seja eleita, será a área de educação e segurança pública.