Imprensa livre e independente
05 de maio de 2016, 14h00

Após ser chamada de “vagabunda petista”, Joanna Maranhão tem perfil na Wikipedia adulterado

Um dia depois do desabafo em que a nadadora revelou ter sido hostilizada em São Paulo, o perfil da atleta na enciclopédia online foi adulterado: “comunista nadadora brasileira”  Por Redação Internautas que provavelmente acreditam que “comunista” é um xingamento adulteraram o perfil da nadadora Joanna Maranhão no Wikipedia. “Joanna de Albuquerque Maranhão Bezerra de Melo (Recife, 29 de abril de 1987) é uma comunista nadadora brasileira”, diz o início do texto, que provavelmente foi adulterado nesta quinta-feira (5). O site permite que qualquer internauta colabore e edite os conteúdos. A adulteração aconteceu apenas um dia após Joanna, via Facebook, ter...

Um dia depois do desabafo em que a nadadora revelou ter sido hostilizada em São Paulo, o perfil da atleta na enciclopédia online foi adulterado: “comunista nadadora brasileira” 

Por Redação

Internautas que provavelmente acreditam que “comunista” é um xingamento adulteraram o perfil da nadadora Joanna Maranhão no Wikipedia.

“Joanna de Albuquerque Maranhão Bezerra de Melo (Recife, 29 de abril de 1987) é uma comunista nadadora brasileira”, diz o início do texto, que provavelmente foi adulterado nesta quinta-feira (5). O site permite que qualquer internauta colabore e edite os conteúdos.

A adulteração aconteceu apenas um dia após Joanna, via Facebook, ter revelado que foi hostilizada em São Paulo ao pedir para um motorista tirar o carro de uma ciclovia.

“Vagabunda petista”, teria dito o agressor.

“Quem me conhece sabe que sou sangue quente, mas a agressividade desse jovem me pegou tão de surpresa, que eu fui embora e comecei a chorar. Triste situação, triste realidade, maldita polarização”, escreveu a atleta, que participará das Olimpíadas no Rio de Janeiro este ano.

Veja também:  HQ Rio de Lágrimas, com trilha sonora de rock progressivo, questiona o sistema financeiro

Foto: ESPN

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum