ASSISTA
20 de Abril de 2018, 17h05

Árabes protestam contra declaração de Ana Amélia e alertam para escalada da xenofobia. Vídeo

Instituto da Cultura Árabe e Coletivo de Muçulmanas e Muçulmanos contra o Golpe reafirmam preocupação com o avanço do discurso de ódio repetido por “lideranças golpistas”, como a senadora do PP-RS

Foto: Fernando Frazão/Fotos Públicas

Mohamed Habib, presidente do Instituto de Cultura Árabe, gravou um vídeo com uma mensagem, na qual manifesta grande preocupação em relação às recentes demonstrações de preconceito para com a comunidade árabe, especialmente depois da declaração da senadora Ana Amélia (PP-RS). As informações são da Rede Brasil Atual.

Ao fazer referências críticas a uma entrevista da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), à TV Al Jazeera, do Catar, na qual denuncia ao mundo árabe que o ex-presidente Lula é um preso político, a senadora Ana Amélia afirmou que atitude de Gleisi poderia infringir a Lei de Segurança Nacional, e fez menção indireta ao grupo terrorista Estado Islâmico. “Só espero que, dada a gravidade do conteúdo dessa exortação publicada pela TV Al Jazeera, essa convocação ao apoio dos países do mundo árabe não tenha sido também um pedido para que o exército islâmico venha ao Brasil atuar aqui”, afirmou a senadora.

Professor titular da Unicamp, o entomólogo egípcio naturalizado brasileiro Mohamed Habib vive no Brasil há 46 anos. Na mensagem, ele afirma que em todos esses anos tem sido feliz pelo tratamento carinhoso que recebe no Brasil, a exemplo de toda a comunidade árabe. Mas que agora assiste a uma onda propagandista contra o árabe e contra a cultura árabe, tratada como terrorista.

Em nota à imprensa, o Icarabe Brasil repudia veementemente a declaração da senadora, em que associa a televisão Al Jazeera a grupos terroristas. A entidade árabe acredita que a sociedade brasileira, em geral, não aceita e não compactua com atos dessa natureza, que incitam crimes de ódio, abrindo-se as portas à barbárie.

O coletivo Muçulmanas e Muçulmanos Contra o Golpe, por sua vez,  também se manifestou por meio de nota em solidariedade à senadora Gleisi. O coletivo destaca o avanço do discurso de ódio repetido à exaustão por “lideranças golpistas, entre elas, a senadora Ana Amélia, do PP/RS, a mesma responsável por estimular atos de violência contra a caravana de Lula pelo Sul do país, que resultou, inclusive, em um atentado com arma de fogo. São pronunciamentos desastrosos e fascistizantes, como os dessa senhora, que promovem o aumento dos casos de xenofobia e islamofobia”.