12 de novembro de 2018, 08h37

Assessor de Bolsonaro processa estudante que o criticou em publicação no Facebook

Arthur Bragança de Vasconcelos Weintraub, que atua na equipe de transição, teria se ofendido com a publicação de universitária que diz que "pessoas que tentam interditar o próprio pai, estando ele bem, não são pessoas que podemos considerar com bom caráter".

Reprodução/Youtube

Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Arthur Bragança de Vasconcelos Weintraub, que foi convidado por Paulo Guedes para assessorar o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), está processando por dano moral, com pedido de indenização, a estudante universitária Linna Stefanie Freire Rocha, também da Unifesp, por uma publicação no Facebook em que ela o chama de “mau caráter”. As informações são do jornals O Estado de S.Paulo, citando como fonte o advogado de Weintraub, Thiago Taborda Simões.

Weintraub, que é especialista em Direito Previdenciário e atua na equipe de transição formulando uma nova proposta para o regime de aposentadoria, teria se ofendido com a publicação da universitária que diz que “pessoas que tentam interditar o próprio pai, estando ele bem, não são pessoas que podemos considerar com bom caráter; enfim, mal (sic) caráter por mal (sic) caráter, faz sentido apoiarem alguém tão repugnante…”.

Na petição inicial contra a estudante – que enviou ao Estado, a pedido, com autorização de seu cliente -, o advogado Thiago Simões considera que a citação sobre questões judiciais familiares foram mencionadas “de forma irresponsável e totalmente errada, insinuando que, pelo simples fato das demandas terem restado improcedentes, seria o autor [Arthur Weintraub] mau caráter”. E esclarece: “O pai do autor se casou com esposa 20 anos mais jovem e doou todos os bens que possuía a ela. Os filhos tentaram proteger o pai. E ademais, não há herança de pessoa viva”.

Leia a reportagem completa.