15 de dezembro de 2017, 12h48

Até Reinaldo Azevedo reconhece: “Condenação de Lula será mantida sem provas”

Colunista de direita também percebeu a pressa para condenar o ex-presidente: “Não há explicação razoável para que o caso de Lula tramite com uma celeridade inédita”.

Colunista de direita também percebeu a pressa para condenar o ex-presidente: “Não há explicação razoável para que o caso de Lula tramite com uma celeridade inédita”. Da Redação* Em sua coluna desta sexta-feira (15), Reinaldo Azevedo criticou a pressa do TRF-4 em condenar o ex-presidente Lula e questionou os padrões usados na operação Lava Jato. “Os dias em curso são de tal sorte insólitos que a simples marcação da data do julgamento de um recurso se torna o fato mais importante da corrida eleitoral. Refiro-me, é evidente, ao dia 24 de janeiro, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região...

Colunista de direita também percebeu a pressa para condenar o ex-presidente: “Não há explicação razoável para que o caso de Lula tramite com uma celeridade inédita”.

Da Redação*

Em sua coluna desta sexta-feira (15), Reinaldo Azevedo criticou a pressa do TRF-4 em condenar o ex-presidente Lula e questionou os padrões usados na operação Lava Jato. “Os dias em curso são de tal sorte insólitos que a simples marcação da data do julgamento de um recurso se torna o fato mais importante da corrida eleitoral. Refiro-me, é evidente, ao dia 24 de janeiro, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região julga apelo da defesa de Lula contra a condenação a nove anos e meio de cadeia que o juiz Sergio Moro impôs ao petista no ruidoso caso do tríplex de Guarujá”.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

“Curiosamente, ao percorrer caminhos heterodoxos na condução da investigação e do julgamento — refiro-me ao conjunto da obra, não apenas aos casos relacionados ao ex-presidente —, as forças associadas à Lava Jato acabaram criando uma armadilha contra a própria operação. A condenação precoce de Lula em segunda instância é uma tentativa desesperada e, mais uma vez, heterodoxa de impedir a completa desmoralização da operação que começou caçando ladrões e terminou caçando prerrogativas garantidas pelo Estado de Direito”, escreveu.

*Com informações do Brasil 247

Foto: YouTube