Imprensa livre e independente
25 de outubro de 2018, 16h31

Ativista LGBT, Rafucko visita campo de concentração nazista e compara Bolsonaro a Hitler

“Sabe qual é a maior diferença entre Jair Bolsonaro e Adolf Hitler? É que Hitler não costumava defender publicamente a tortura. Mas as semelhanças entre os dois são muito grandes pra você não perceber”, afirma

Foto: Reprodução O ativista LGBT e humorista Rafael Puetter, conhecido como Rafucko, divulgou um vídeo em sua página no Facebook, no qual faz uma comparação entre Jair Bolsonaro e Adolf Hitler. O título é “Como se constrói um mito?”. As imagens mostram a visita de Rafucko em Sachsenhausen, na Alemanha, em um campo de concentração nazista, “para onde eram enviadas centenas de milhares de judeus, homossexuais, comunistas e ciganos”. “Mas hoje eu não vim aqui para falar sobre morte. Eu vim aqui para mostrar como Hitler foi considerado bom pela maioria do povo alemão”. O ativista faz um resgate histórico...

Foto: Reprodução

O ativista LGBT e humorista Rafael Puetter, conhecido como Rafucko, divulgou um vídeo em sua página no Facebook, no qual faz uma comparação entre Jair Bolsonaro e Adolf Hitler. O título é “Como se constrói um mito?”. As imagens mostram a visita de Rafucko em Sachsenhausen, na Alemanha, em um campo de concentração nazista, “para onde eram enviadas centenas de milhares de judeus, homossexuais, comunistas e ciganos”.

“Mas hoje eu não vim aqui para falar sobre morte. Eu vim aqui para mostrar como Hitler foi considerado bom pela maioria do povo alemão”. O ativista faz um resgate histórico da ascensão do nazismo e traça um paralelo com Bolsonaro. “Nos anos 30, a Alemanha passava a maior crise de sua história, com inflação, desemprego e fome”.

Durante o vídeo, ele coloca vários áudios de Bolsonaro, bradando seus discursos de ódio: “Só que a faixa agora será muito mais ampla. Ou vão pra fora, ou vão pra cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria”.

Veja também:  Agência confirma que empresas pagaram por disparos de fake news pró-Bolsonaro no Whatsapp

Rafucko destaca que um feito de Adolf Hitler foi afastar o perigo do comunismo. “Afinal, diferente do que muita gente no Brasil pensa, Hitler era de direita. E ele eliminou a oposição”, diz.

“Vamos botar um ponto final em todos os ativismos do Brasil. As minorias têm que se curvar às maiorias. As minorias se adequam, ou simplesmente desapareçam”, falou Bolsonaro.

O ativista ressalta que Hitler gerou empregos, movimentou a economia e trouxe segurança para os alemães. Seu slogan era ‘Deutschland uber Alles’. Em português, ‘Alemanha acima de tudo”’. O slogan de Bolsonaro é ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’.

Na sequência, mais frases de Bolsonaro: “Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre. Nós temos que adotar urgentemente sim, contra tudo e contra todos, os defensores de direitos humanos em especial, uma rígida política de controle da natalidade. Chega de nós darmos meios para que casais cada vez mais coloquem gente que não tem a mínima condição de ser cidadão no futuro”.

Veja também:  Manuela D'Ávila indica que Bolsonaro cometeu crime de responsabillidade

Cristão

Rafucko diz: “Hitler era cristão, a favor da família e contra a homossexualidade. Outra citação de Bolsonaro: “Agora gostar de homossexual, ninguém gosta. Ninguém gosta, a gente suporta. O filho começa a ficar meio assim meio gayzinho leva um couro, ele muda o comportamento dele”.

O ativista completa sua participação: “Sabe qual é a maior diferença entre Jair Bolsonaro e Adolf Hitler? É que Hitler não costumava defender publicamente a tortura. Mas as semelhanças entre os dois são muito grandes pra você não perceber. Aos olhos de muitos, Hitler era uma boa opção pra Alemanha. E agora eu te pergunto: valeu a pena?”.

O vídeo termina com Bolsonaro: “Eu sou favorável à tortura, tu sabe disso. E o povo é favorável a isso também. Você só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazendo um trabalho que o regime militar não fez. Matando uns 30 mil. Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem”.

Acompanhem o vídeo:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum