07 de agosto de 2018, 11h26

Ativistas pedem audiência com ministros do STF, após oito dias de jejum

Militantes que fazem greve de fome querem que os ministros do Supremo coloquem na pauta de votação duas ações que contestam a possibilidade de prisão antes de esgotados todos os recursos

Foto: Divulgação/MPA

Os manifestantes que promovem greve de fome com o objetivo de chamar a atenção para a liberdade do ex-presidentee Lula prometem ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (7). A ideia é protocolar 11 pedidos de audiência com os ministros que integram a Corte, segundo a RBA.

Eles reivindicam a colocação em votação de duas ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs), que questionam a possibilidade de prisão depois de condenação em segunda instância.

O jejum alcança nesta terça seu oitavo dia e ganhou a adesão do militante do Levante Popular da Juventude, Leonardo Armando. Agora, são sete os manifestantes em greve de fome. Os manifestantes estão alojados no Centro Cultural de Brasília (CCB) e receberam nesta segunda (6) a visita do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS). Os ativistas se reuniram, ainda, com participantes da Caravana Semiárido contra a Fome.