ASSISTA
06 de junho de 2014, 12h49

Ativistas realizam escracho na casa do presidente da CBF

Manifestação teve por objetivo lembrar dos trabalhadores mortos na construção dos estádios

Manifestação teve por objetivo lembrar os trabalhadores mortos na construção dos estádios 

Por Redação 

Ativistas realizaram na manhã desta sexta-feira (6) escracho na porta da casa do presidente da Confederação Brasileira do Futebol (CBF), José Maria Marin. Os manifestantes tinham por objetivo expor, além da CBF, a Fifa e as empreiteiras envolvidas na construção dos novos estádios. No ato, foi realizado o enterro simbólico de dez operários que morreram nas obras das novas arenas esportivas.

A manifestação também teve por objetivo denunciar as precárias condições de trabalho dos operários e a pouca segurança oferecida a eles. Lambe-lambes foram colados na região dos Jardins, onde fica a casa de Marin. Cartazes com o rosto das vítimas e coroas de flores (símbolo fúnebre) também foram utilizados no protesto.

Ao término do ato, uma intervenção teatral foi realizada, na qual foram encenadas as mortes dos operários na construção civil de estádios para Copa. Vale lembrar que três trabalhadores morreram em um acidente na Arena Corinthians, também conhecida como Itaquerão.