Imprensa livre e independente
24 de outubro de 2017, 21h58

Ato “Inaceitável”, no Rio de Janeiro, reúne milhares de pessoas contra Temer e seu governo

Encabeçado por artistas e intelectuais, ato aconteceu na véspera da votação na Câmara da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça de Temer, e faz parte de um movimento contra a compra de votos para salvar o peemedebista e o senador Aécio Neves. Protesto também focou nos retrocessos encampados pelo atual governo Por Redação Milhares de pessoas se reuniram, na tarde desta terça-feira (24), no ato “Inaceitável”, uma manifestação encabeçada por artistas e intelectuais contra Michel Temer e os retrocessos impostos pelo seu governo. O protesto ocorreu exatamente na véspera da votação na Câmara dos Deputados da segunda denúncia...

Encabeçado por artistas e intelectuais, ato aconteceu na véspera da votação na Câmara da denúncia de organização criminosa e obstrução da Justiça de Temer, e faz parte de um movimento contra a compra de votos para salvar o peemedebista e o senador Aécio Neves. Protesto também focou nos retrocessos encampados pelo atual governo

Por Redação

Milhares de pessoas se reuniram, na tarde desta terça-feira (24), no ato “Inaceitável”, uma manifestação encabeçada por artistas e intelectuais contra Michel Temer e os retrocessos impostos pelo seu governo. O protesto ocorreu exatamente na véspera da votação na Câmara dos Deputados da segunda denúncia contra Temer, por organização criminosa e obstrução da Justiça. A primeira denúncia foi rejeitada pela Casa.

No ato, os ativistas presentes se posicionaram contra as emendas parlamentares e a “compra de votos” que garantiu a Temer se livrar da primeira denúncia e possibilitou o senador Aécio Neves (PSDB) se salvar das sanções impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“A segunda denúcnia contra Temer esta prestes a ser votada na Câmara, não podemos ficar parados.
Escravidão! Aécio no Senado! Compra de votos ! Formação de Quadrilha! 50 milhões do Geddel! Bandidos protegidos pelo foro privilegiado! Desmonte da educação. Tudo isso é inaceitável!”, escreveram os organizadores.

A manifestação, que saiu da Candelária e foi até a Cinelândia, contou com a presença de figuras como a produtora Paula Lavigne, a atriz Aline Moraes, o artista plástico Vik Muniz, o poeta e diretor teatral Michel Malamed e da cantora Teresa Cristina, entre outros.

Veja também:  Crime em Brumadinho: Gilmar suspende quebra de sigilo de ex-presidente da Vale

Ao longo do dia, a hashtag #TemerInaceitável esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Organizadores garantem que o movimento “Inaceitável” continuará atuando e pautando agendas de mobilizações.

Confira, abaixo, algumas fotos da manifestação.

Fotos: NINJA

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum