ASSISTA
02 de Abril de 2015, 14h47

Atos contra a Rede Globo se espalham pelo país

Protestando contra o monopólio da mídia, a sonegação de impostos e o "golpismo", manifestantes fizeram ato em frente às sedes da Globo em ao menos 6 cidades. Movimentos sociais, sindicatos e coletivos já articulam grande mobilização para "descomemorar" o aniversário da emissora; confira imagens.

Protestando contra o monopólio da mídia, a sonegação de impostos e o “golpismo”, manifestantes fizeram ato em frente às sedes da Globo em ao menos seis cidades. Movimentos sociais, sindicatos e coletivos já articulam grande mobilização para “descomemorar” o aniversário da emissora; confira imagens

Por Ivan Longo

Prestes a completar 50 anos de existência, a Rede Globo está sendo alvo de inúmeros “escrachos” pelo país. Aproveitando o mês de aniversário, o momento político e a forma como a empresa vem manipulando informações, manifestantes estão ocupando as sedes da emissora em diversas cidades com o intuito de reivindicar a democratização das comunicações e o fim da concessão pública ao canal de televisão.

Na noite deste 1º de abril, foram registrados atos contra a Globo em ao menos seis cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Curitiba e Maringá.

O ato do Rio de Janeiro, onde fica a sede principal da emissora, foi o mais expressivo e contou com, ao menos, mil pessoas.

Além das reivindicações pela democratização das comunicações, os manifestantes também lembraram o fato de a Globo ter apoiado a ditadura militar e continuar articulando “golpismos” até os dias de hoje. Cartazes com a inscrição “Globo Golpista” eram os mais recorrentes.

Entre outras pautas que sustentam o protesto contra a empresa dos irmãos Marinho está a sonegação de impostos que seria praticada.

Movimentos sociais entram na luta 

As manifestações deste 1º de abril contra a Rede Globo serviram mais como um “esquenta” para o que vem pela frente. Movimentos sociais e coletivos organizados, como Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Fora do Eixo, Levante Popular da Juventude, União da Juventude Socialista, Intervozes e outros organizam grandes mobilizações para o final de semana, no aniversário da emissora.

A ideia é, ao longo do mês de abril, realizar uma série de intervenções, por todo o Brasil, contra a Rede Globo para, no final de semana do dia  26 (aniversário da Globo), realizar um grande ato de “descomemoração”.

A data exata e o local do grande ato serão definidos na próxima semana e a mobilização foi dividida em três pilares: o golpismo, a sonegação de impostos e a reivindicação pela democratização da mídia.

Fotos: Reprodução/Facebook