20 de fevereiro de 2018, 11h01

Bancada do PDT, de Ciro Gomes, vota em bloco com Temer a favor da intervenção no Rio

Os únicos três partidos que votaram em bloco contra a intervenção no Rio foram o PT, PSOL e PCdoB

Ciro Gomes. Foto: Flickr

A bancada do PDT, de Ciro Gomes (e Brizola!), votou em bloco ao lado de Temer a favor da intervenção militar no Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira (19), na Câmara. De uma bancada de 21 deputados, os 15 que estavam presentes à sessão votaram com o governo.

Nem o MDB, de Temer, nem o PSDB, de Alckmin e Aécio e nem o PP, de Paulo Maluf (pasmem!) conseguiram tal proeza. No MDB, o deputado Celso Pansera, do Rio de Janeiro, votou contra. Já entre os tucanos, o dissidente foi João Gualberto, da Bahia e no PP o voto contrário foi de Espiridião Amin.

Na Rede, de Marina Silva, Alessandro Molon, foi o único voto não. No PR, do Tiririca, outra surpresa, o Delegado Waldir, de Goiás, foi o dissidente; já no PSB, de Márcio França, apenas Janete Capiberibe, do Amapá, se insurgiu; no PROS, o não foi de Weliton Prado, de Minas Gerais e no Podemos, de Álvaro Dias, o voto contra foi do deputado Bacelar, da Bahia.

Ao lado do governo, além do PDT, fecharam questão por unanimidade o DEM, de Rodrigo Maia; o PPS, de Roberto Freire; o PSC, de Bolsonaro, que apesar de criticar a intervenção também votou a favor; o PSD, de Kassab; o PRB, do prefeito desaparecido Marcelo Crivella e o Solidariedade, do infalível Paulinho da Força.

Os únicos três partidos que votaram unanimemente contra a intervenção militar no Rio de Janeiro foram o PT, PSOL e PCdoB.