Blog do Rovai

20 de dezembro de 2010, 18h22

Ana de Hollanda no MinC é vitória de grupo petista

O grupo do PT ligado ao ator Antônio Grassi é o vitorioso com a indicação da artista Ana de Holanda, irmã de Chico Buarque.

Durante os últimos dois meses a indicação para o Minc foi a menos badalada, mas uma das mais aguerridas.

De um lado, o grupo do atual ministro Juca Ferreira. Do outro, o PT. Que tinha várias frentes, mas com protagonismo especial de Grassi.

Vários nomes foram testados pelo grupo petista. Desde os mais políticos, como o da senadora Ideli Salvati e do deputado Ângelo Vanhoni, até os de Marilena Chaui, Emir Sader e Wagner Tiso.

Até o do escritor Fernando Morais que foi filiado ao PMDB chegou a ser lembrado na bolsa de apostas.

A construção de Ana de Hollanda iniciou-se na inviabilização desses anteriores.

A queda de braço era contra Juca Ferreira e menos importava que entrasse no seu lugar e mais que seu grupo perdesse não viabilizasse um novo período à frente do órgão.

Este blogueiro sujo conversou há pouco com uma pessoa ligada ao grupo de Juca e com outra que participou das articulações de Ana de Hollanda.

Veja também:  Moro se oferece para prestar esclarecimentos ao Senado sobre vazamento de informações

Na perspectiva dos que apoiaram Juca, há uma desolação total. A avaliação é a de que muitas das conquistas do período Gilberto Gil e Juca serão abortadas.

Os que estão chegando, porém, dizem que isso não procede. Que há críticas sim a forma como Juca Ferreira, em especial, conduziu o ministério, mas que o entendimento é de que antes do governo Lula não havia ministério da Cultura.

E de que ele hoje é uma realidade. E por isso não há no grupo que vai assumir a pasta a intenção de enterrar a história construída nesses oito anos.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum