Blog do Rovai

07 de dezembro de 2011, 15h50

Classe C prefere Geise Arruda à Gisele Bündchen e Juliana Paes (parte 1)

O Renato Meirelles, do DataPopular, foi um dos palestrantes do evento realizado pela Altercom na segunda-feira. Sua apresentação foi devastadora. Desnudou o preconceito da “nossa elite branca e sanguessuga” – quem disse isso foi o ex-governador de São Paulo, Cláudio Lembo. E também mortal em relação à forma como a nossa mídia (jornalismo e publicidade) caracteriza o Brasil.

Antes de qualquer coisa, Meirelles posicionou o que se considera Classe C no Brasil. Há duas faixas. A C1 é de renda familiar de R$ 3.379,08. Neste caso, a variação da renda por pessoa é de R$ 770,50 a R$ 1.249,99. A C2 tem renda familiar de R$ 1.829,18. Por pessoa vai de R$ 291,00 a R$ 770,49.

Claro que vai aparecer um sabichão da nossa “iliti” pra afirmar que quem ganha isso só é Classe C num país pobre como o Brasil. Que nos EUA um sujeito com essa renda é miserável. Mas pra isso o Renato Meirelles tem uma resposta na ponta da língua. A Classe C estadunidense é mais rica que 92% da população do mundo. Ou seja, não pode ser padrão universal. E a Classe C brasileira? Aí vem a surpresa. A Classe C brasileira é mais rica do que 62% da população do mundo. E agora, quem vai brigar com os números?

Veja também:  A situação de Bolsonaro é muito mais grave do que parece

A pesquisa do DataPopular tem uma quantidade de outros dados interessantes, mas antes deles vou apresentar a história que justifica o título.

O instituto fez um levantamento com mulheres de Classe C apresentando três siluetas de mulheres. O número 1 era o da Gisele Bündchen, o 2 o da Juliana Paes e o 3 o da Geise Arruda. As perguntas eram: 1) Qual o corpo mais bonito?, 2) Qual o corpo mais atraente e 3) Qual o corpo você gostaria de ter?

Deu Geise Arruda disparado como você pode ver na ilustração abaixo. Aliás, quando o assunto é que corpo é o mais atraente ela meteu 72,2% a 5,3% na coitada da Gisele Bündchen. Mas por que o padrão de beleza das novelas e da publicidade é o da magrela da Gisele?


Porque quem desenha o mundo ideal para todos os brasileiros é a “iliti” da Classe A, que nos diz, entre outras coisas, qual o padrão de beleza que deve ser adotado por todas as mulheres do país. Ou seja, o do magrelismo.

Mas a pesquisa do DataPopular traz outros dados relevantes. De cada 10 brasileiros que entraram na Classe C nos últimos anos, três eram nordestinos. Dá pra entender porque o governo Lula foi tão bem avaliado na região. Mas o Nordeste ainda é a área que tem o maior índice de habitantes nas classes D e E, 55%. No Norte é 45%, Centro Oeste, 26%; Sudeste, 21% e Sul, 19%. Ainda há muito espaço para ascensão social nas regiões Norte e Nordeste.

Veja também:  Hospital Albert Einstein deve explicações à sociedade sobre esquema Bolsonaro-Queiroz

Mas o que você acha que a “iliti” pensa da Classe C?

O Renato Meirelles também pesquisou isso com 18.365 das classes A e B:

 

55,3% os produtos deveriam ter versões para ricos e para pobres;

48,4% acham que a qualidade dos serviços piorou com o maior acesso da população;

62,8% se incomodam com o aumento das filas originados pela ampliação do acesso;

49,7% preferem ambientes com pessoas do mesmo nível social;

17,1% acham que todos os lugares deveriam ter elevadores separados (para ricos e pobres);

26,4% acham que metrô aumenta o número de pessoas indesejáveis na região;

17,1% consideram que pessoas mal vestidas deveriam ser barradas em certos lugares.

 

Essa Classe C vai consumir em 2011 aproximadamente R$ 1 trilhão e por conta dela a economia do Brasil não vai à breca.

Amanhã à tarde publico a segunda parte deste post.

 

PS: Como em inglês o “e” tem som de “i”, “iliti” fica mais adequado ao topo da pirâmide brasileira.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum