Blog do Rovai

16 de março de 2011, 00h52

Dilma ganhou mais do que Hebe ao ir ao programa dela

O irmão da ministra Ana de Holanda tem uma música chamada Jorge Maravilha  que num certo trecho diz: “você não gosta de mim, mas sua filha gosta”.

Quando era adolescente ouvia dizer que a música havia sido feita para a filha do Geisel. Que tinha sido namorada dele e que era apaixonada pelos olhos verdes do poeta-músico.

Havia naquele meio dos anos 80 quem já dissesse que o irmão de Ana não confirmava a história, mas eu não abria mão de acreditar na versão. Achava-a muito boa para não ser verdade.

Hoje já me conformei depois de ler algumas vezes, como nesta entrevista, que a motivação foi outra. Sempre que o autor de Cálice ia ao Dops para ser interrogado, ao final os investigadores pediam autógrafos. Claro que pras filhas.

Hoje ao ver Hebe desfilando com Dilma no Palácio do Planalto, agradeci por não ter sido eu o entrevistado da apresentadora.

Simplesmente porque perderia os direitos de herança do patrimônio que dona Clotilde administra com mãos de ferro na gloriosa Praia Grande (cidade onde se encontram as praias mais freqüentadas do litoral brasileiro), se não saísse do encontro com, no mínimo, um autógrafo de Hebe.

Veja também:  Lewandowski deve abrir voto sobre prisão em segunda instância pelo TRF-4, que pode beneficiar Lula

Cá entre nós, diferente da visita a Folha no aniversário do jornal, acho que Dilma sai maior do que entrou desta participação no programa de estréia de Hebe na Rede TV. Assisti o dito cujo depois de ser informado pela minha progenitora do “acontecimento”.

Ela se humanizou para um segmento importante da população brasileira. Principalmente para aquele que se localiza na classe média e tem mais do que 50 anos.

Dialogar com esse segmento, que é bastante conservador, é necessário. Diria que é fundamental.

E Dilma não me parece ter mudado de opinião, nem se tornado menos ou mais de esquerda por conta disso.

Ao contrário, quem parece ter mudado de opinião foi Hebe. Que rasgou elogios a nova presidenta.

Um governante precisa ter conexão com formadores de opinião nos setores populares.

E até Lula tinha.

Ou os amigos já se esqueceram da relação que o ex-presidente cultivava com Ratinho e Datena.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum