Blog do Rovai

20 de outubro de 2014, 15h45

Do tempo em que o Brasil aumentava impostos e pedia socorro ao FMI

Vídeo de 1998 mostra o ex-presidente FHC tendo que dar explicações à população sobre corte de gastos, aumento de impostos e pedido ajuda ao FMI

Nos últimos debates realizados entre os presidenciáveis, a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) trouxe à tona as graves crises enfrentadas pelo país durante a gestão do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. O fato é negado pelo adversário Aécio Neves (PSDB). E o tempo todo ele a chama de leviana e mentirosa. Este vídeo, porém, de 1998, mostra um pronunciamento de FHC, poucos dias antes de ser reeleito, admitindo que iria tomar medidas duras para conter os efeitos da crise. Entre as alternativas anunciadas, estava o aumento de impostos e o pedido de socorro ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

fhc e áecioNo discurso transmitido pelo Jornal da Band, apresentado pelo jornalista Paulo Henrique Amorim, o ex-presidente aparece defendendo o corte de gastos. “O prejuízo tem que parar. o Estado tem que caber dentro dos recursos que a sociedade lhe dá e tem que utilizá-lo da melhor forma possível”, alertou. “Se não formos capazes de diminuirmos as despesas na velocidade e no volume necessários, como estamos propondo, talvez sejamos obrigados a uma discussão aberta sobre aumento de impostos”, complementou FHC.

Veja também:  Moro, o bocó, e Bolsonaro, o malandro, uma história....

Pela primeira vez, ele assumiu que recorreria à ajuda do FMI. “Não temos e não teremos medo de tratar de nossos ajustes com abertura em relação ao mundo. Dialogar intensamente com parceiros e com as instituições internacionais”, afirmou na ocasião. Esse acordo de apoio financeiro significou um empréstimo de US$ 41,5 bilhões. Deste total, US$ 18 bilhões foram recursos do próprio FMI e outros US$ 9 bilhões, do Bird (Banco Mundial) e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), sendo US$ 4,5 bilhões de cada um deles. Além disso, houve no acordo um montante de US$ 14,5 bilhões da cooperação de vários países da União Européia, Estados Unidos, Japão e Canadá. Foi uma das vezes que o Brasil quebrou nas mãos dos tucanos. E que Aécio, que era presidente da Câmara Federal, nega.

Assista ao vídeo abaixo, ele é elucidativo e educativo:

 

Foto de capa: Reprodução / YouTube

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum