Blog do Rovai

05 de março de 2013, 19h29

Joaquim Barbosa estrelando : E se fosse o Lula – parte 2

Reproduzo a seguir uma reportagem que acessei pelo Facebook a partir de dica do amigo Eduardo Guimarães. Ela deixa evidente a forma como o presidente do STF respeita a liberdade de imprensa e zela pelo direito à informação livre. No final de semana chamei Joaquim Barbosa de Sinhozinho por conta da nota laudatória de Sonia Racy anunciando o novo afair do ministro, uma garota de 24 anos. “Quem a conheceu atesta ser ela inteligentíssima”, garantiu Racy.

Terminei o comentário com uma simples pergunta: e se fosse o Lula? Não tenho nada a ver com a vida pessoal de Barbosa e acho absolutamente normal relações com grande diferença de idade.  Mas isso não significa que não possa questionar a apaixonada cobertura que certos jornalistas lhe dispensam. E a forma como arrumam muletas para lhe ofertar em qualquer situação que possa exigir um pouco mais de jogo de cintura. Afinal, qual o problema em deixar Barbosa responder sobre o namora. Que nada. Racy já lhe deu a senha, a moça é inteligentíssima.

Mas quem cobre Brasília sabe que Barbosa está longe de ser um gentleman. É um sujeito autoritário e sem limites. E que é sim uma ameça à democracia com o seu desiquilíbrio e com o poder que tem. Leia a matéria abaixo ou ouça o áudio aqui.

Veja também:  Frente de dez partidos, entre eles PSDB e PT, funda movimento “Direitos Já” contra Bolsonaro

Vá chafurdar no lixo’, diz presidente do STF a jornalista

DE BRASÍLIA

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, chamou nesta terça-feira (5) de “palhaço” um repórter do jornal “O Estado de S. Paulo” e recomendou que ele fosse “chafurdar no lixo”.

A fala ocorreu na saída da reunião do Conselho Nacional de Justiça, que também é presidido por Barbosa.

Ao deixar o local, Barbosa era aguardado por jornalistas. Na primeira abordagem, o ministro interrompeu a pergunta iniciada pelo repórter Felipe Recondo e o destratou aos gritos.

O repórter perguntou: “Presidente, como o senhor está vendo…”. Barbosa não o deixou concluir e respondeu: “Não estou vendo nada. Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre”.

O jornalista questionou o comportamento do ministro. “Que é isso ministro, o que houve?”.

“Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor”, devolveu.

“Eu tenho que fazer pergunta que é o meu trabalho”, retrucou.

Ainda mais irritado, Barbosa afirmou que não tinha nada a declarar. “Eu não tenho nada a lhe dizer, não quero nem saber do que o senhor está tratando”, afirmou.

Veja também:  Malditos hipócritas: a grande mídia e a investida contra Bolsonaro

Afastado por assessores, Barbosa ainda chamou o repórter de “palhaço” ao entrar em um elevador.

Os jornalistas esperavam Barbosa para repercutir a nota divulgada pelas três maiores entidades de juízes do país (AMB, Ajufe e Anamatra) no fim de semana.

As entidades criticaram Barbosa por ele ter dito em entrevista que a magistratura tem mentalidade pró-impunidade, e afirmam que ele vive situação de “isolacionismo” e “parte do pressuposto de ser o único detentor da verdade”.

Em novembro passado, Barbosa já havia criticado um repórter negro como ele que, segundo o presidente do STF, teria replicado estereótipos racistas ao perguntar se ele estava sereno no novo cargo

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum