Imprensa livre e independente
28 de julho de 2017, 10h03

Bendine encontra o seu delator, Marcelo Odebrecht, na sede da PF

O ex-presidente do Banco do Brasil começou a ser investigado depois que foi delatado pelo empreiteiro, que diz ter pago a ele propina de R$ 3 milhões.

O ex-presidente do Banco do Brasil começou a ser investigado depois que foi delatado pelo empreiteiro, que diz ter pago a ele propina de R$ 3 milhões. Por Redação* Segundo informa a coluna de Mônica Bérgamo, Aldemir Bendine, deu de cara com seu algoz, Marcelo Odebrecht, quando chegou à sede da Polícia Federal, nesta quinta (27), em Curitiba. O ex-presidente do Banco do Brasil começou a ser investigado depois que foi delatado pelo empreiteiro, que diz ter pago a ele propina de R$ 3 milhões. Marcelo, que está preso na PF, fazia reunião com seus advogados quando Cobra, apelido de Bendine...

O ex-presidente do Banco do Brasil começou a ser investigado depois que foi delatado pelo empreiteiro, que diz ter pago a ele propina de R$ 3 milhões.

Por Redação*

Segundo informa a coluna de Mônica Bérgamo, Aldemir Bendine, deu de cara com seu algoz, Marcelo Odebrecht, quando chegou à sede da Polícia Federal, nesta quinta (27), em Curitiba. O ex-presidente do Banco do Brasil começou a ser investigado depois que foi delatado pelo empreiteiro, que diz ter pago a ele propina de R$ 3 milhões.

Marcelo, que está preso na PF, fazia reunião com seus advogados quando Cobra, apelido de Bendine nas planilhas da Odebrecht, chegou. O ex-presidente do BB olhou duro para o empreiteiro. E passou reto.

*Com informações da coluna de Mônica Bérgamo

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

Veja também:  Pelo Whastapp, líder caminhoneiro fala em "fechar Congresso, rodear e sitiar aquele povo ali dentro"

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum