Blog do Mouzar

19 de setembro de 2014, 12h09

Bill Ferrer em tempos de FHC

Convite_Mouzar_Pamonhas de Piracicaba

 

“Pamonhas de Piracicaba e outras histórias” é mais um volume da minha série sobre Bill Ferrer, detetive heterodoxo, escrito em parceria com Saphira Mind.

Apesar de ser publicado só agora, foi escrito em 2002, último ano do governo Fernando Henrique Cardoso. Nesse livro, ele não investiga nada relacionado ao governo, mas nos diálogos fica claro como era o “clima” da época.

Achei curioso reler os originais, neste tempo em que todas as desgraças do mundo são “creditadas” ao governo Dilma e ao PT, de maneira geral. Não que eu ache que o Brasil esteja uma maravilha, mas acho esquisito a imprensa, o “mercado” e os tucanos criticando o pessimismo atual, a falta de crescimento, a inflação e muitas outras coisas que acontecem (ou que não acontecem).

São três contos, e o último deles, “Onde está o Abreu? Você não sabe? Nem eu!” termina exatamente na noite do segundo turno da eleição de 2002. O final foi escrito na semana seguinte à eleição.

Uma característica dessa série é de certa forma retratar o momento histórico em que vivemos. Por histórico, aí, entendo não um ciclo grande mas o momento exato em que Bill Ferrer e seu auxiliar Vasconcellos investigam crimes teoricamente acontecidos.

Falta de grana, desemprego generalizado, corrupção, desânimo geral, falta de perspectiva, aparecem no texto, com mais força do que o quadro que chamam de estagnação que o Brasil vive hoje.

Lembro que no segundo mandato de FHC era raro encontrar alguém achando que ia “melhorar de vida”. Havia um temor generalizado de perda de emprego e as pessoas mais otimistas que eu encontrava achavam que não iam piorar sua situação no ano seguinte.

O livro deveria ter sido lançado em maio de 2013 e lamentei que a editora tivesse atrasado. Os protestos de junho – plenamente justificáveis, acho – logicamente não seriam nem um pouquinho influenciados por ele, que para começar seria lido por muito pouca gente. E não faria a cabeça de nenhum leitor. Mas indicaria para algumas pessoas que acreditam que tudo de ruim é coisa recente, pós-governos tucanos.

Bom, vamos ao enredo dos três contos, deixando um pouco de lado esse “lado B”, com histórias paralelas que servem mais ou menos para contextualizar as histórias.

No primeiro conto, À procura de um Zé, Ferrer é contratado para descobrir o assassino de um velho fazendeiro de Mato Grosso do Sul, encontrado agonizando num terreno baldio do bairro do Tucuruvi, em São Paulo. Uma historinha paralela envolve seu auxiliar Vasconcellos, que vive cantando a prima que topa transar com todo mundo, menos com ele, e tem agora uma paquera com uma policial.

O segundo conto, que leva o título do livro, Pamonhas de Piracicaba, trata de roubo de cargas de carne e troca clandestina de carne de gado especial por outras comuns, para uma rede de churrascarias. O título que não tem nada a ver com isso se deve ao fato de naquele ano serem muito frequentes as kombis anunciando as famosas “pamonhas de Piracicabas” e incomodando Vasconcellos, azucrinando os ouvidos de muita gente. O clima de desânimo e falta de grana aparece com certo destaque.

No terceiro, com tamanho dos dois primeiros somados, Onde está o Abreu? Você não sabe? Nem eu!, investiga-se o sumiço de um líder empresarial, o Abreu, sequestrado um ano antes no consultório de uma dentista. A polícia e outros detetives tentaram em vão descobrir o que aconteceu com ele. Aí a família recorre a Bill Ferrer, que já estava quase fechando sua agência de detetives por falta de clientes. Crimes havia muitos, até pareciam coisas corriqueiras, mas ninguém contratava detetives para apurá-los. Alguns por desinteresse e outros desinteresse, deixavam as coisas como estavam.

Neste conto, fica evidente o clima político e econômico da época. Dólar a quase R$ 4,00 e uma falta de perspectivas tão grande que até o reacionário Bill Ferrer resolve votar na oposição para ver se as coisas melhoram. Tomando uísque nacional bem barato e comendo tremoços com o auxiliar que prefere beber jurubeba, eles discutem os acontecimentos.

Se descobrem o Abreu? Bom… Compre o livro e veja.

 

Pamonhas de Piracicaba e outras histórias foi publicado pela Editora Limiar.

Lançamento dia 24 de setembro – quarta-feira – a partir das 18h30

Local: Restaurante Canto Madalena

Endereço: Rua Medeiros de Albuquerque, 471 – Vila Madalena – São Paulo