COMPRE JÁ
12 de Março de 2018, 17h15

Bloco progressista do Parlasul apoia Lula e defende seu nome para o Nobel da Paz

Vários parlamentares de países que compõem o Mercosul assinaram nota que denuncia a perseguição judicial e midiática a Lula e defende o direito à sua candidatura

O grupo, formado por inúmeros parlamentares de países que compõem o Mercosul, assinou uma nota em que denuncia a perseguição judicial e midiática a Lula – Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/Fotos Públicas

A bancada progressista do Parlasul defendeu, durante sessão em Montevidéu, no Uruguai, nesta segunda-feira (12), a indicação do nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o prêmio Nobel da Paz. O grupo, formado por inúmeros parlamentares de países que compõem o Mercosul, assino uma nota em que denuncia a perseguição judicial e midiática a Lula, defende o direito do ex-presidente ser candidato a presidente nas eleições de outubro e declara apoio à indicação de Lula ao prêmio da Academia Sueca, anunciada pelo ganhador do Nobel da Paz de 1980, o argentino Adolfo Perez Esquivel.

Para o deputado argentino Oscar Laborde (vídeo), a exclusão de Lula das eleições deste ano e sua eventual prisão seria “gravíssimo não só para o Brasil, mas para a América Latina”. No último dia 3 de março, Adolfo Perez Esquivel esteve com Lula, em São Paulo, e anunciou sua decisão de indicá-lo ao Nobel da Paz. “A chegada do PT e Lula à presidência se tornou uma referência internacional na luta contra a pobreza. Mais de 30 milhões de pessoas foram resgatadas da pobreza extrema (um país inteiro), a desigualdade diminuiu e o índice de desenvolvimento humano aumentou”, disse ele, em sua página.