Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

07 de fevereiro de 2019, 06h43

Deputado apresenta ‘requerimento de louvor’ a Sérgio Moro

Bastidores: o requerimento de louvor do Capitão Alberto Neto (PRB-AM) em virtude da assinatura do decreto que facilitou o porte de arma de fogo, dia esvaziado na Câmara, o projeto da pílula do dia seguinte e outras histórias do Congresso

O deputado Capitão Alberto Neto (Foto: Agência Câmara)

Glória a Deus

O deputado Capitão Alberto Neto (PRB-AM) apresentou requerimento de louvor ao ministro Sérgio Moro em virtude da assinatura do decreto por parte do ministro que facilitou o porte de arma de fogo para cidadãos brasileiros.

Cruzada contra as mulheres 

O governo mal começou mas a bancada de deputados do PSL tem levado constrangimento e dor de cabeça a integrantes do Planalto. Entre comensais do presidente pegou mal a proposta divulgada ontem pelo blog em relação ao projeto do deputado Márcio Labre (RJ) proibindo médicos de receitarem pílula do dia seguinte a mulheres.

Ao que importa

É consenso até no mundo mineral de Brasília que a pauta de costumes por enquanto ficará de escanteio e não terá protagonismo no parlamento enquanto não for aprovado o que realmente importa: a Reforma da Previdência.

Desculpa esfarrapada

Horas após a divulgação do projeto pelo blog a assessoria de Labre enviou nota contando que o projeto ainda não havia sido finalizado, que havia falhas severas de conteúdo e que iria retirar o conteúdo de tramitação. É a famosa estratégia do se colar, colou.

Pela moral e os bons costumes

Na seara de propostas recheadas de conteúdo ideológico em que nada se aproveita a deputada-professora Dayanne Pimentel (PSL-BA) apresentou Projeto de Lei (PL 504/2019) para incluir no currículo do ensino fundamental de escolas públicas e privadas a disciplina “educação moral e cívica”.

Veja também:  Em artigo, Tabata Amaral fala em renúncia ou impeachment de Bolsonaro como saídas para a crise

A culpa é da TV

A justificativa da congressista para ressuscitar essa disciplina da época da ditadura militar é que é preciso resgatar valores “imutáveis” da sociedade brasileira, como a cidadania e amor à pátria. A congressista culpa ainda programas de TV como co-responsáveis pela marginalização de jovens.

Fiscalização em barragens de São Luís

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB) solicitou ontem na Câmara dos Deputados que a Agência Nacional de Mineração (ANM) e o Instituto de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), realizem uma fiscalização às barragens de rejeitos da empresa de Consórcio de Alumínio do Maranhão S.A. (Alumar). O congressista teme que tragédias como as que ocorreram em Brumadinho e Mariana se estendam ao Maranhão.

Reservatórios da Alumar sob lupa

O socialista lembrou que em São Luís existem seis grandes áreas de resíduos bauxita administradas pela Alumar, empresa que fabrica alumínio. No total, a área soma cerca de 50 hectares na Zona Rural da capital maranhense, nas imediações de bairros e com grande proximidade aos rios que compõem o sistema de abastecimento de água da região. “Em São Luís a Alumar fabrica alumínios desde 1981, e ela tem uma reserva de bauxita, uma reserva extremamente perigosa que pode machucar muitas pessoas caso haja algum tipo de transbordamento”, explicou.

Veja também:  Justiça autoriza quebra de sigilo bancário de Queiroz e Flávio Bolsonaro

Pegos no susto

Pegos de surpresa com a segunda condenação envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o líder do PT na Câmara Paulo Pimenta e a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, criticaram nesta quarta-feira (6), em coletiva no Salão Verde, a sentença. A Justiça Federal no Paraná condenou o ex-presidente por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal sobre o sítio de Atibaia, no interior de São Paulo.

Apelo a tribunais superiores

Pimenta e Gleisi dizem acreditar que a condenação será revista por tribunais superiores brasileiros. Afirmam que o partido recorrerá em todas as instâncias, inclusive não descartam recorrer à Organização das Nações Unidas (ONU) novamente.

É festa do lado de lá

Em um Congresso esvaziado, repercutiu pouco entre os presentes a segunda condenação envolvendo o ex-presidente, sendo mais comemorada entre deputados do PSL, partido de Bolsonaro. Nas redes sociais foi um dia de festa no lado direito da força.

STJ/STF

Vale registrar que apesar dos apelos da defesa de Lula, tanto o STJ quanto o STF têm negado habeas corpus ao ex-presidente. Porém o mérito das condenações ainda não foi discutido pelo colegiado desses tribunais.

Veja também:  Gang 90 e Filipe Catto se apresentam ao lado do escritor Juliano Pessanha na Ocupação 9 de Julho

Clã Bolsonaro e as milícias

O deputado Rogério Correia (PT-MG) apresentou requerimento ao ministro Sergio Moro para que seja investigado de forma urgente a relação das milícias do Rio de Janeiro com instituições públicas brasileiras. No documento o congressista cita a estreita relação do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) com milícias.

A parte que pega

O documento relembra que Flávio já elogiou a atuação de milicianos e em seu gabinete na Alerj manteve como funcionárias a mãe e a mulher de Adriano da Nóbrega, ex-policial militar e apontado pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro como chefe da milícia do Rio das Pedras e do chamado “Escritório do Crime”. Nóbrega foi homenageado em 2003 por Flávio com a Medalha Tiradentes, a mais alta honraria da Alerj.

#DeunoTwitter

“E a bancada do PSL começa com seu show de horrores no Congresso. Um quer proibir o anticoncepcional, outra quer o Escola Sem Partido com disque dedo-duro. Logo surge um declarando a Terra plana por projeto de lei. Voltem pro túnel do tempo”, escreveu o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum