Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

06 de fevereiro de 2019, 06h40

Deputado quer proibir distribuição de pílula do dia seguinte a mulheres

Nos bastidores, e fora dele, tem deputado querendo proibir pílula do dia seguinte, líder do governo Bolsonaro sendo boicotado pela base aliada e deputado querendo convocar ministro da Educação para explicar declaração polêmica

Marcio Labre e Flavio Bolsonaro, do PSL/RJ (Reprodução/Youtube)

#DiretodoCongresso

Veto à pílula do dia seguinte

O deputado federal Márcio Labre (PSL-RJ) foi o primeiro deputado homem que se apresentou em Brasília para legislar sobre o corpo das mulheres. O congressista apresentou um Projeto de Lei (PL 261/2019) para proibir que médicos prescrevam métodos contraceptivos a mulheres, como a pílula do dia seguinte ou mesmo dispositivo intrauterino (DIU).

Cruzada contra as mulheres

Na justificativa do projeto e supostamente em nome de Deus, o autodeclarado defensor das mulheres afirma que normas técnicas do Ministério da Saúde orientam o aborto até o quinto mês de gestação. No projeto de lei o congressista defende que a polícia prenda, destrua, interdite e multe estabelecimento comercial que venda qualquer contraceptivo às mulheres brasileiras.

Ministério da Saúde abortista

Labre diz que o Ministério da Saúde orientou hospitais a “praticarem aborto contra crianças de até cinco meses de gestação”. O deputado diz que o Ministério, ao recomendar o uso da pílula, estaria cometendo um delito contra a vida e um estelionato contra as mulheres.

 

Líder do governo boicotado

Parlamentares da base aliada de Bolsonaro ignoraram solenemente o convite do líder do governo, major Victor Hugo (PSL-GO), para uma reunião que aconteceria nessa terça. O líder queria estreitar relações com a base, mas grande parte dos congressistas sequer deu ouvidos ao pedido. Há uma preocupação no Mercado com a capacidade do governo de aprovar a Reforma da Previdência, que requer quórum altíssimo na Câmara em dois turnos de votação.

 

Molon quer convocação de Vélez

O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) apresentou requerimento à Câmara dos Deputados para que o ministro da Educação, Ricardo Vélez, explique ao parlamento a desrespeitosa declaração de que o brasileiro se comporta como ladrão quando sai do país. “O brasileiro viajando é um canibal. Rouba coisas dos hotéis, rouba o assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo”, disse o ministro em entrevista à Veja.

Peixe morre pela boca

Quando um ministro é convocado ele é obrigado a vir ao Congresso. Em caso de descumprimento, o ato pode ser caracterizado como crime de responsabilidade.

 

Renan escanteado

O presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP) tem atuado, nos bastidores e fora dele, para isolar Renan Calheiros (MDB-AL) de todos os espaços de poder do Senado. Simone Tebet, adversária de Renan, deve ser confirmada para comandar um espaço relevante de poder na Casa, a prestigiada Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A segunda secretaria, de acordo com Randolfe Rodrigues (Rede-AP), também foi prometida ao MDB.

Semana sabática

Conforme noticiado pelo blog nessa terça, Calheiros só deve aparecer novamente por Brasília na próxima semana.

 

Bolsonaro persegue imprensa

Se aproxima de cinco mil apoios a petição pública da Revista Fórum a favor da liberdade de expressão e imprensa. O veículo sofre perseguição e é processado pelo presidente Jair Bolsonaro após a revista publicar uma foto capturada pelo fotógrafo Lula Marques em 2017 no plenário da Câmara. Nessa terça (5) a ex-presidente Dilma Rousseff se juntou ao grupo de apoio em defesa de uma imprensa livre de ameaças e intimidações.

Bolsonaro na Papuda

Naquela ocasião Lula Marques fotografou uma conversa misteriosa no whatsapp de Bolsonaro em que o deputado afirmava que não iria visitar o filho, Eduardo, na Papuda, complexo prisional no DF destinado a presos de alto periculosidade.

 

Deu no Twitter

“É necessário sempre analisar as consequências de cada proposta ou “pacote”. Por exemplo, aumentar a superpopulação carcerária pode fortalecer o poder das facções criminosas, caso não haja mais recursos para investimento e custeio das penitenciárias.”, governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) sobre pacote anticrime de Moro para o setor de Segurança Pública.

 

#diretodoplenário

No cafezinho do plenário da Câmara, um deputado comentou ao blog sobre o recente destaque do vice-presidente Hamilton Mourão enquanto assumiu interinamente a Presidência da República: “A sensação é que ele tem um plano e quer que o mar pegue fogo para ele comer peixe frito”. É, faz sentido.


#tags