O diretor do ginásio, o Congresso Nacional e a Justiça

Se o Aécio não for cassado nem preso, é de se esperar que o Senado chame de volta o senador Delcídio e cancele a cassação dele, não? E o STF também deve cancelar o processo contra ele.

Se o Aécio não for cassado nem preso, é de se esperar que o Senado chame de volta o senador Delcídio e cancele a cassação dele, não? E o STF também deve cancelar o processo contra ele.

Por Mouzar Benedito*

Um causo que contei há muito tempo tem vindo à minha lembrança por causa de decisões da Justiça e do Congresso Nacional. Conto aqui o mesmo causo, acontecido de verdade, lá pelos anos 1970, numa pequena cidade de Minas Gerais.

Laudinice, a inspetora de alunos do ginásio estadual, estava meio atacada, brigando com os estudantes sem motivo. Até que ameaçou suspender o Zé Carlos por causa de uma brincadeira. Aí ele partiu para a ofensiva:

— O que é que foi? O Nerfeu não te tratou bem hoje?

Ela ficou roxa:

— Como?!

— É isso mesmo. Quando ele te come direitinho, a senhora chega aqui bem mais mansa.

Foi um escândalo. Todo mundo foi parar na diretoria. Onde é que já se viu falar isso de uma mulher casada? Zé Carlos confirmou para o diretor:

— Ela dá pro Nerfeu, sim.

Foi expulso da escola. Sua mãe ainda foi chamada ao ginásio e ouviu uma ladainha do diretor:

— A senhora precisa cuidar melhor do seu filho. Um menino de onze anos falando uma coisa dessas! Ah… e reze pro marido da Laudinice não ficar sabendo, que a coisa pode piorar mais ainda.

Passado um mês, a Laudinice chegou de Simca para trabalhar. Simca era o automóvel mais caro na época. Com um salário de inspetora… será possível? O diretor procurou saber, era um presente do Nerfeu. Chamou o Zé Carlos de volta e anulou a expulsão.

Tá aí o causo. Parece que não tem nada a ver com o que acontece, por exemplo, com as gravações que justificaram a cassação do mandato e a prisão de Delcídio do Amaral e a que deve não deve levar à cassação e prisão de Aécio Neves, né?

Mas vejam… Aécio diz que foi uma armadilha planejada para incriminá-lo. Bom… A de Delcídio também foi. A diferença básica é que no caso de Delcídio houve uma proposta de corrupção ativa e no de Aécio uma proposta de corrupção passiva. Por que uma deve ser perdoada e até mesmo ignorada e a outra punida exemplarmente?

Tá aí o que me fez lembrar o causo: o diretor do ginásio, quando viu que tinha cometido uma injustiça, corrigiu, chamando de volta o aluno expulso.

Não tenho nenhum apreço pelo senador Delcídio do Amaral, mas fico comparando a história dele com a do também senador Aécio Neves, por quem tenho ainda menos apreço.

Então, se o Aécio não for cassado nem preso, é de se esperar que o Senado chame de volta o senador Delcídio e cancele a cassação dele, não? E o STF também deve cancelar o processo contra ele. Mas quem acredita que isso é possível?

Ética num diretor de ginásio, sim, se comprovou. Mas nos senadores, nos deputados… Quem põe a mão no fogo por eles?

Ah, para terminar, pergunto: como o senador Aécio votou no caso do Delcídio? E mais: voltando para o Senado, que partido acolherá o ex-petista? Talvez o próprio PT, que vacila na punição de Aécio.

* Mouzar Benedito, mineiro de Nova Resende, é geógrafo, jornalista e também sócio fundador da Sociedade dos Observadores de Saci (Sosaci).

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil/Fotos Públicas