Deputado do PT defende blogues sujos e pede distribuição justa da publicdade

Em discurso na tribuna da Câmara, nesta segunda-feira (1º), o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) criticou duramente as recorrentes condenações judiciais contra blogueiros não alinhados ao pensamento hegemônico da grande mídia. Referindo-se ao caso...

Em discurso na tribuna da Câmara, nesta segunda-feira (1º), o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) criticou duramente as recorrentes condenações judiciais contra blogueiros não alinhados ao pensamento hegemônico da grande mídia.

Referindo-se ao caso do blog Vi o Mundo, recentemente condenado em primeira instância a pagar  R$ 30 mil de indenização por danos morais ao diretor da Central Globo de Jornalismo, Ali Kamel, o parlamentar comparou o contexto atual ao da ditadura civil-militar iniciada em 1964.

“Estamos a assistir no País hoje a um processo muito semelhante ao que foi feito na época da ditadura militar. Qualquer órgão de comunicação alternativo que tinha coragem de questionar o status quo ou chamar a sociedade brasileira para refletir de maneira crítica sobre os anos de chumbo era calado pela baioneta ou era sufocado, asfixiado pela dificuldade de buscar qualquer tipo de apoio publicitário”, afirmou Pimenta, que também é jornalista.

“Hoje estamos a assistir, infelizmente, a algo semelhante a um processo crescente de judicialização coordenado pelos grandes meios de comunicação, com empenho e apoio do Judiciário conservador”, complementou o deputado.

Para o parlamentar gaúcho, as seguidas condenações atentam contra a democracia e contra a liberdade de expressão e são representativas da postura autoritária dos grandes meios de comunicação. “Eles estão novamente mostrando sua determinação e sua força contra qualquer possibilidade de movimentação de qualquer setor da sociedade que atente contra os seus interesses”, disse Pimenta.

Publicidade e casos emblemáticos – O deputado também disse que pretende estimular esse debate na bancada do PT e defende a mudança da política de distribuição de verba publicitária do governo, que estaria asfixiando a diversidade de fontes de informação para a sociedade. “Estamos há mais de 10 anos com governos populares neste País, mas em praticamente nada se alterou a concentração das verbas publicitárias do governo federal para os grandes meios de comunicação, em detrimento de uma política de afirmação de uma mídia regional e de formas alternativas de informação”, apontou.

“O PT  deve protagonizar esse debate, que tem forte vínculo com a nossa história de luta pela democratização do País. Vou propor à bancada a realização de um seminário para discutirmos como a distribuição de verbas oficiais pode ser mais democrática. E também acredito que devemos realizar uma audiência pública sobre os casos emblemáticos de blogs e jornalistas condenados judicialmente por terem feito críticas ou sátiras aos grandes meios. Não podemos aceitar esse processo de judicialização que vem ferindo a liberdade de expressão”, disse Pimenta.

O deputado listou alguns casos de blogueiros e jornalistas condenados ou alvos de ações movidas por grandes meios, além do Vi o Mundo: Luís Nassif, Paulo Henrique Amorim (Conversa Afiada), Rodrigo Vianna (Escrevinhador), Marco Aurélio Mello (Do lado de lá), Falha de São Paulo, Cloaca News e o paraense Lucio Flávio Pinto (Jornal Pessoal) são alguns dos casos considerados emblemáticos.

Rogério Tomaz Jr (assessoria do PT na Câmara Federal)

No artigo

4 comments

  1. Carlinhos de Moraes Responder

    Quero fazer um jornal com receitas de pizza.
    Um jornal todo lindo com fotos bem coloridas.
    Quero fazer um jornal de papel marrom e letras cinza.
    Assim ninguém me censura e eu posso viver de brisa.

  2. Claudio Freire Responder

    Rovai, este exemplo confirma o que eu disse em comentários à sua postagem anterior (com o título “Globo e o governo Dilma parecem estar perto da vitória”). Vários petistas no Congresso tem feito comentários desse tipo. Ao contrário do que se pode pensar, esses comentários não têm como alvo os petistas do governo, mas fazer pressão sobre os demais integrantes da base do governo no Congresso, especialmente os do PMDB.

    O PT sempre foi a favor da regulamentação. Lula sempre foi a favor e não conseguiu implantá-la em seu governo.

    Aliás, aproveito para fazer uma crítica àquela essa sua postagem, se voce me permitir. Desculpe-me a sinceridade, mas entendo que foi uma crítica não-construtiva, feita num tom irônico que não ajuda a avançar.

    Não há a menor dúvida de que uma regulamentação da mídia é fundamental. É uma das coisas que poderão fazer com que o país entre de fato numa democracia mais madura. Não há dúvida alguma sobre isso.

    Todos os petistas que estão no governo sabem muito bem disso. Entretanto, governar é procurar avançar numa rede de dificuldades e contradições. Meus comentários anteriores foram nessa direção: o maior obstáculo para implantar essa regulamentação estão dentro da própria base de apoio ao governo, e responde pelo nome de PMDB.

    Por causa disso, todos que temos uma posição de esquerda democrática temos que fazer sim a crítica à não-implantação da regulamentação, mas de forma a sugerir formas eficazes de torná-la possível, e levando em conta as reais dificuldades para sua implantação. Acho que sua crítica foi (e tem sido, infelizmente, nesse assunto) simplesmente destrutiva, procurando torpedear quem voce acha que está dificultando o encaminhamento da questão. As críticas devem existir, claro, mas ser construtivas e apontar caminhos possíveis.

  3. André Lux Responder

    Ae Rovai, fiquei sabendo que no encontro de hoje vocês seguiram à risca as minhas orientações. Que bom, fico feliz. Agora sei porque você estava tão nervoso hoje. Minhas denúncias devem ter melado algum esquema que vocês do clubinho estavam armando e obrigou-os a ter que defender toda a blogosfera, da qual vocês até então só lucravam em cima. Se foderam! Ah, e pode ficar tranquilo que não vou te perseguir. Sei que você só me ofendeu hoje com tanta desenvoltura porque sabe que eu sou incapaz de levantar minha mão contra outro ser humano. Acho que isso diz bastante sobre seu caráter. No fundo não passa de um covarde. Lembre-se sempre disso quando você se olhar no espelho.

  4. Manoel Inconfidente Vergara Responder

    Bem todos solidários com o Azenha, mas longe dos problemas com a poderosa Rede Globo, em centenas de municípios como o Guarujá, um dos mais corruptos do pais, onde a Prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB), nomeou o marido em cargo comissionados.

    Após resistir durante 4 anos heroicamente há mais de 23 processos Criminais, Cíveis, Eleitorais, na última sexta-feira (05), fui surpreendido com PENA MÁXIMA de um Juiz da 3ª Vara Cível a pagar a Prefeita de Guarujá a bagatela de 50 Salários Mínimos mais 15% de Honorários Advocatícios. Por que a pena máxima? Simples, porque nossos Blogs tem grande repercussão, na sentença do Juizão!

    Mas e nossas representações na justiça e no Ministério Público sobre a compra de uma Escola Particular, lavrada em um Cartório do interior do Paraná,onde o proprietário assinou uma procuração em 2011, mas havia falecido em 1973? Nada acontece, visite a matéria em http://tiradentesguaru.wordpress.com/2012/07/08/20541/.

    Bem os processos são normais, o que não é normal é uma Condenação Máxima numa cidade onde a UNAERP – Universidade de Ribeirão Preto, utiliza um grande prédio público em permuta com Bolsas de Estudos a Prefeitura, mas a herdeira e proprietária é a Secretária de Educação Priscila Bonini, a responsável em fiscalizar a própria faculdade, com mais um detalhe: “Promotores e Juízes da Comarca de Guarujá ministram aulas na Universidade da Secretária de Educação”, a mesma que desaparece com mais de 320 Milhões em recursos da Educação que deveriam vir as crianças de Guarujá, mas são utilizados para compras absurdas.

    Isso é a ponta do Iceberg, agora os 40 mil vão ficar para mais um Blogueiro que denuncia diariamente o roubo do dinheiro público pagar, enquanto Promotores e Juízes desfilam em carros e lanchas importadas pelas praias da Ilha de Santo Amaro, outrora conhecida como Pérola do Atlântico.